Por Rebeca Duarte, Head de Planejamento da Adtail

Já faz algum tempo que o mundo Gaming e Streaming deixou de ser tão específico para “jovens”, isso porque todas as faixas etárias estão presentes no meio digital e buscam constantemente por entretenimento. Logo, há um público amplo de espectadores e consumidores de mídia de streaming e esses ambientes precisam deixar de ser vistos como “nichados”, pois já atraem diversos públicos que podem coincidir com o perfil das personas de várias marcas, mesmo aquelas não particularmente voltadas para jogos.

Aproveitando esse movimento e a mudança dos hábitos de compra do consumidor, não é surpresa que esteja ocorrendo um aumento de influencers marcando presença em plataformas de stream, como o Twitch, o maior canal de streaming para jogos. Ali os influenciadores são conhecidos como streamers e podem ser uma ponte segura e atrativa entre os seguidores deles, pela autoridade e confiança, e as marcas que, de algum modo conversam com os temas que discutem em seus canais.

As marcas que pretendem atingir os clientes onde eles estão devem estar atentas para aproveitar as oportunidades de Shopstreaming. Esta é a atualização dos antigos modelos de comércio ao vivo, que pode ser feita via Twitch, Youtube, mas também pelas redes sociais, como Facebook e Instagram. O importante é selecionar o canal mais utilizado pelo seu público-alvo, para garantir que alcance o maior número de pessoas, e, também, que faça mais sentido com seus objetivos de negócio.

Assim, mesclando e-commerce com transmissões de vídeo simultâneas, abre-se o caminho às vendas por lives, que representam uma experiência completa de mercado (com compra imersiva em tempo real), entretenimento (pelo envolvimento com o conteúdo) e comunidade (pelas interações em massa via chat nas redes). Com essa estratégia, é possível explorar o cenário de consumo crescente de conteúdo digital, além de criar uma atmosfera de venda diferenciada à da loja física. Então, gerar um conteúdo valioso é a chave, mas relacionando com o seu produto ou serviço.

Além disso, esse formato promove a praticidade de poder comprar instantaneamente o que é oferecido no vídeo por QR Code ou link disponível na tela, assim como a possibilidade compartilhar dicas e solucionar dúvidas com uma comunicação natural e bem explicativa. A partir daí, para começar a colocar em prática, é preciso conhecer bem o seu público, ter uma equipe técnica que garanta uma transmissão de qualidade, um cenário atrativo, e, no conteúdo, informações e vantagens reais e objetivas sobre o que você quer vender, passando credibilidade, mas, sempre, harmonizando entre a divulgação e o entretenimento.

Os próximos passos para as empresas que desejam aderir ao Shopstreaming são descobrir influenciadores que gostam da sua marca ou podem se identificar com ela, depois, cogitar patrocinar um canal, marcar eventos entre streamer e seus fãs ou mesmo comprar espaço para ter seu logo no canal/cenário. Dessa forma, as ferramentas de streaming vão auxiliar nas vendas e nas campanhas de marketing de influência, mas, principalmente, trazer o cliente para mais perto da sua marca por meio de um relacionamento genuíno e confiável.

Esse artigo faz parte do e-book 8 Tendências de Marketing Digital para 2021, da Adtail. Para baixar o material completo, clique aqui.