Social Media Marketing: eis uma estratégia obrigatória para as empresas que buscam sucesso em vendas e fortalecimento de imagem nos dias atuais. Afinal, as marcas precisam estar presentes em redes sociais como Facebook, Instagram, Pinterest, Tik Tok, LinkedIn, X (antigo Twitter), entre outras. 

Porém, antes de saber como executar uma estratégia desse tipo, é interessante darmos uma olhadinha na teoria, para entender melhor alguns conceitos e compreender como aplicá-los no seu negócio. A seguir, vamos falar sobre isso, além de apresentar exemplos e um passo a passo para explorar as redes sociais da sua empresa. Vem com a gente!

O que é Social Media Marketing? Conheça a estratégia, os impactos para as marcas e cases de sucesso

Social Media Marketing é uma abordagem estratégica que utiliza plataformas de mídia social para promover produtos, serviços ou a marca como um todo. Essa modalidade de marketing envolve a criação e compartilhamento de conteúdo, engajamento com seguidores, análise de resultados e publicidade paga, com o objetivo de alcançar um público-alvo específico e cumprir objetivos de marketing.

Para conquistar tais resultados é interessante conhecermos a teoria dos laços sociais, proposta pela pesquisadora Raquel Recuero. Ela explica que sempre que seguimos uma pessoa ou uma marca nas redes, estamos gerando um laço, que pode ser forte ou fraco.

Os laços fortes são caracterizados por relações próximas e íntimas, enquanto os laços fracos representam conexões mais distantes. No Social Media Marketing, entender essa dinâmica é crucial para a estratégia de conteúdo e engajamento.

A maior proximidade ajuda a construir uma comunidade leal e engajada, vital para a autoridade da marca e a fidelização de clientes. Por outro lado, os laços fracos são fundamentais para expandir o alcance digital, pois conectam diferentes grupos sociais e facilitam a disseminação de informações. 

Efetivamente, uma marca que compreende e utiliza ambas as formas de laços sociais em sua estratégia de Social Media Marketing pode aumentar significativamente sua visibilidade, autoridade e influência no espaço digital. Isso pode ser feito por meio de uma série de ações que envolvem pesquisas e segmentação de público, criação de conteúdo estratégico, táticas de relacionamento etc. (1)

Homem e mulher utilizando celular. Entre eles, aparecem diversos emojis de redes sociais

Cases de sucesso: Adtail é referência em conectar marcas aos seus públicos com laços fortes

Aqui na Adtail, somos especialistas em Social Media Marketing e colecionamos cases de sucesso. Entre os mais notáveis estão os das marcas Piccadilly, Drogal e Preçolandia. 

No caso da Piccadilly, a estratégia se aproveitou do lançamento de calçados da boneca Barbie, que estava em alta por conta do lançamento do primeiro filme live action da franquia nos cinemas.

A estratégia abrangente incluiu marketing em redes sociais e com influenciadores, resultando em um alcance impressionante de mais de 30 milhões de contas no Instagram, 890 mil interações e mais de 70 mil cliques no link da bio. O projeto destacou-se com o lançamento de 7 modelos de calçados, culminando em um vídeo de unboxing com 4.8 milhões de visualizações.

Para a rede de farmácias Drogal, focamos em aumentar a captação de receita por meio do Pinterest, desenvolvendo conteúdo relevante e informativo. Essa estratégia levou a um crescimento substancial de 19 milhões de impressões na plataforma, um aumento de 92% no Retorno Sobre o Investimento em Publicidade (ROAS) e um crescimento de 71% na receita.

Já a Preçolandia enfrentou o desafio de estagnação no crescimento de seguidores. Com uma estratégia de reestruturação do calendário editorial e integração de mídia paga e social media, conseguimos um aumento expressivo de 40 mil novos seguidores no Instagram em 90 dias, quatro vezes o crescimento anterior e uma melhoria notável na presença digital e nas vendas online.

Passo a passo: aprenda a montar uma estratégia de Social Media Marketing na sua empresa

Com base nas ideias dos teóricos da área e na nossa experiência prática, desenvolvemos um passo a passo para você montar uma estratégia de Social Media Marketing de sucesso na sua empresa. Veja, a seguir:

1º passo: compreenda a dor do negócio e defina objetivos

Comece identificando as principais dificuldades do seu negócio. Isso pode incluir baixo reconhecimento da marca, dificuldade em gerar leads, ou desafios na retenção de clientes.

Feito isso, estabeleça metas claras e mensuráveis. Isso pode variar desde aumentar o engajamento até impulsionar as vendas online. Certifique-se de que seus objetivos sejam específicos, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e temporais (SMART).

2º passo: defina as personas e as redes sociais que serão utilizadas

Identifique quem é seu cliente ideal, conceito ao qual damos o nome de personas. Para isso, considere fatores demográficos, psicográficos e comportamentais.

Após, selecione as redes sociais mais adequadas ao seu público. Por exemplo, LinkedIn pode ser melhor para B2B, enquanto Instagram e TikTok são ótimos para alcançar um público mais jovem.

3º passo: crie um calendário editorial estratégico

Desenvolva um calendário editorial que balanceie diferentes tipos de conteúdo, como posts educativos, promocionais e de entretenimento.

Também assegure que todo conteúdo reflita a voz e a identidade da marca. A consistência é chave para a construção da marca.

4º passo: acompanhe constantemente o desenvolvimento da rede social

Estabeleça Key Performance Indicators (KPIs) como engajamento, crescimento de seguidores, e taxa de conversão. Use ferramentas de análise para monitorar esses 

Também revise periodicamente o desempenho da sua estratégia e faça ajustes conforme necessário.

5º passo: tenha flexibilidade e adaptabilidade

O mundo das redes sociais está sempre evoluindo. Sendo assim, tenha flexibilidade para adaptar sua estratégia com base em novas tendências, algoritmos e feedback do público.

Recomendamos que experimente diferentes abordagens e tipos de conteúdo. Analise o que funciona melhor e esteja disposto a inovar.

6º passo: mantenha o seu engajamento nas redes sociais

Interaja com seus seguidores, responda a comentários, participe de conversas e crie conteúdo que incentive a interação. Assim, você mantém o engajamento nas redes sociais.

Também preste atenção às conversas e às tendências relevantes ao seu setor. Tudo isso pode virar conteúdo interessante.

Lembre-se sempre que uma estratégia eficaz de Social Media Marketing não é estática. Ela evolui com as mudanças nas tendências, tecnologias e comportamentos do público. 

Então, tenha criatividade e esteja sempre pronto para adaptar sua abordagem para obter os melhores resultados.

Adtail: agência de marketing digital especializada em estratégias com redes sociais

Como você pode perceber, desenvolver uma estratégia consolidada de Social Media Marketing não é algo tão simples. Isso exige muito conhecimento, dedicação e especialização.

Sendo assim, a melhor saída é contar com quem entende do assunto. É o caso do time aqui da Adtail! Entre em contato conosco e veja como podemos ajudar o seu negócio a se destacar nas redes sociais. 

Referências:
(1) RECUERO, Raquel. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.

Por Guilherme Dias, coordenador de mídia na Adtail

Para começar esse tema, precisamos introduzir um dos canais com maior popularidade entre os aplicativos de conversas simultâneas atualmente. O WhatsApp tem mais de dois bilhões de usuários mensais em sua plataforma (© Statista, 2 de fev. 2024) e assim como toda empresa que se populariza em grande massa, podemos desenhar oportunidades de negócios que vem como consequência dessa expansão, e por esse motivo, em 2018, o WhatsApp lançou sua versão Business destinado para conversas comerciais.

Gráfico de barras apresentando os aplicativos de mensagem mais populares do mundo. Em primeiro lugar está o WhatsApp

Nossa missão aqui é entrar em detalhes de como podemos tirar o melhor proveito dessas ferramentas de conversas simultâneas através de campanhas em mídia paga, com foco em uma estratégia de WhatsApp Marketing tanto para segmentos B2C como para o B2B. 

Vale ressaltar também que estratégias como essas podem ser desenhadas com ações dentro de uma estratégia de CRM.

Entendendo a importância de investimento em mídia paga para WhatsApp Business

Na pesquisa realizada pela We Are Social, estatisticamente, temos uma relevância muito alta quanto às redes sociais no Brasil, sendo que 96,4% desses usuários são brasileiros. E quando refletimos esse dado já direcionado ao WhatsApp, o Brasil é o segundo maior público que consome este canal, sendo mais de 84% dos usuários brasileiros

Além disso, o WhatsApp já é utilizado por cerca de 76% das pessoas na busca de contato com as marcas. 

Contudo, já entendemos que o canal tem um grande potencial para ser utilizado como espaço de vendas de forma estratégica, seja ele orgânico ou alcançando novos públicos através de mídia paga.

E por onde podemos iniciar?

Em um primeiro momento é necessário realizar o cadastro e verificação de número comercial através do WhatsApp Business, este mesmo número precisa estar integrado com ferramentas de mídias pagas, sendo os principais, Meta Ads e Google Ads.

Esse passo é importante para criar credibilidade através de um perfil comercial verificado. E não se esqueça de configurar mensagens automáticas de saudação e ausência para qualificar melhor o atendimento.

É importante ter conhecimento que existem ferramentas de integração via API que facilitam a automação de entrada de leads que vão desde a parte orgânica quanto a mídia paga e CRM, o que entrega uma eficiência maior em controle e gestão.

Como podemos desenhar a estratégia para mídia paga?

Definimos inicialmente uma estratégia focada em um objetivo alinhado a KPIs de sucesso, indiferente que seja B2C ou B2B, é importante que tenhamos um destino final quanto a prospecção desses leads. 

Além disso, no objetivo de leads e segundo a Leadster, é importante destacar que aproximadamente 82,86% das empresas investem em mídia paga, enquanto 17% não fazem nenhum investimento. Ou seja, caso você faça parte dos 17%, você está perdendo na concorrência.

Nos dois segmentos, é comum as empresas já terem um SAC muito mais ativo em relação ao WhatsApp Business, o que facilita no desenho da estratégia. Para que as vendas funcionem, precisamos em termos de estrutura de time, ter um ou mais vendedores treinados para prospecção desses leads e que todo o atendimento seja rápido e ágil, aliás, estamos falando de uma estratégia de marketing digital onde temos um volume de informações e concorrência muito maior, se você demorar para prospectar, é possível que você perca esse lead para outra empresa. 

Na mídia paga, há várias possibilidades de atuação e estratégia, a mais conhecida e utilizada atualmente é através do Meta Ads. No último panorama de geração de leads 2023, o Meta Ads foi apontado como o canal com a melhor taxa de conversão, atingindo 4,23%. No entanto, é importante ter atenção à intenção de compra e à maturidade dos leads provenientes das redes sociais, que geralmente são menores do que nos canais de busca, o que pode dificultar o fechamento das vendas.

Ainda falando sobre esse canal, é possível criar uma campanha de vendas onde a nível de conjunto de anúncios, conseguimos classificar como conversão principal a inicialização de conversa por WhatsApp. Em termos de segmentação, como citado no parágrafo anterior, é importante entender o perfil do seu lead. 

As segmentações mais utilizadas para buscar qualificação são aqueles que já tiveram algum contato prévio com sua marca, seja acessando o e-commerce, se engajando com redes sociais ou através de e-mail marketing, onde é possível criar segmentações personalizadas ou lookalike, mais conhecida como público semelhante. 

Já no Google Ads, a ferramenta não é tão forte quanto comparado a campanhas de Meta Ads, mas ainda é possível usar extensões que levam esse usuário para um contato de WhatsApp. Neste caso, é importante que tenha uma integração via API do Google com algum CRM. Outro ponto relevante é realizar o tagueamento caso em seu site possua algum plugin de contato por WhatsApp, isso dará mais munição e informação para o aprendizado das campanhas com este objetivo. 

Pessoa utilizando o celular. Ao fundo, vemos várias sacolas de compras

Quais tipos de comunicação podemos usar como ação?

Estamos falando sobre gerar vendas e entregar valor ao cliente. Um calendário de ação e anúncios muito bem desenhados em comunicação, chamada e posicionamento, irá refletir em uma boa taxa de interação com o anúncio (CTR) e consequentemente em bom custo por clique (CPC) e custo por aquisição (CPA). Aproveite este tipo de estratégia para:

É hora de mensurar os seus resultados

Conforme falado no início deste conteúdo, precisamos definir muito bem nossos KPIs de sucesso, não só para realizar otimizações assertivas como também para entender em níveis de qualificação, plano de ação e tomada de decisão. 

Nessa estratégia indicamos o acompanhamento do número de cliques, a taxa de interação do usuário com seu anúncio através do CTR, a taxa de conversão e de qualificação dos leads, o custo por aquisição (CPA) e o custo por clique (CPC). 

Todas as métricas precisam estar andando juntas, ou seja, um bom CTR irá nos trazer um menor CPC, porém, é comum ver um CPC e um CPA mais caro quando há uma boa qualificação dos leads, neste cenário, considere o seu ticket-médio para entender se a campanha está sendo rentável a nível de ROAS. Se você conseguir em uma planilha mapear as receitas geradas e o investimento realizado, conseguirá ver se está gerando lucro ou prejuízo através de suas campanhas.

Por fim, defina metas bem detalhadas e atue naquelas métricas que não estão conversando com o que foi projetado. Seguindo dessa forma, é possível acompanhar os resultados com maior eficiência para suas tomadas de decisão. 

O que fazer agora?

Debatemos algumas ideias e formas de desenhar a sua estratégia para geração de vendas através de campanhas do WhatsApp, mas esses são apenas os principais detalhes de uma grande estratégia de vendas. E para uma boa atuação precisamos elaborar desde a operação até os resultados finais obtidos. 
E aí, vamos criar uma campanha de mídia paga para o WhatsApp com foco em geração de vendas? Temos soluções e estratégias para colocar isso em prática, entre em contato.

A Biblioteca de Anúncios do Facebook é uma ferramenta poderosa que revolucionou a forma como as empresas gerenciam as suas campanhas de publicidade nas redes sociais. 

Para e-commerces, a plataforma se tornou um ativo inestimável, oferecendo insights valiosos e a capacidade de “espiar” a concorrência de maneira eficaz. 

Aqui na Adtail, temos uma equipe especializada em tráfego pago e estratégias de mídia no Facebook e demais redes sociais. 

Atendemos vários clientes no segmento de e-commerce. Sendo assim, reunimos conceitos, dicas e estratégias trabalhadas internamente para ajudar você a impulsionar o seu comércio eletrônico. Veja tudo a seguir!

O que é a Biblioteca de Anúncios do Facebook?

A Biblioteca de Anúncios é uma ferramenta da Meta que possibilita a pesquisa de anúncios veiculados em suas plataformas, como o Facebook e o Instagram. 

Também conhecida como Ad Library, ela foi criada com o objetivo de aumentar a transparência. Isso porque torna as informações sobre anúncios acessíveis mesmo para pessoas que não estejam logadas nas redes sociais. 

Na Biblioteca, os usuários podem obter dados como a quantidade de anúncios de uma página, os conteúdos, as imagens e as datas de início das campanhas. 

No entanto, informações mais específicas, como o orçamento e a segmentação do público-alvo, não são fornecidas. 

Com mais de 2,9 bilhões de contas no Facebook e 2 bilhões no Instagram (1) essa ferramenta é muito útil na vigilância da publicidade online. Mais do que isso, é uma verdadeira aliada em ações de inteligência competitiva dos negócios.

Por que a Biblioteca de Anúncios é importante para o e-commerce?

Os gestores de e-commerces devem dedicar atenção à Biblioteca de Anúncios devido à sua capacidade de fornecer insights sobre a concorrência e tendências de mercado. 

Em um cenário em que a atenção dos consumidores é altamente disputada nas redes sociais, conhecer as estratégias dos concorrentes é um grande diferencial competitivo. 

A partir das informações disponibilizadas na Biblioteca, pode-se realizar análises mais profundas das táticas de marketing utilizadas pelos concorrentes. 

Assim, o seu negócio poderá se “defender” e estar sempre um passo à frente, principalmente no que se refere à conversão e performance;

Como usar a Biblioteca de Anúncios para insights?

Usar a Biblioteca de Anúncios do Facebook é uma tarefa bastante simples. Preparamos um passo a passo para te auxiliar nesse momento. Observe:

  1. Acesse o site: vá para a página oficial da Biblioteca de Anúncios do Facebook e comece selecionando país no qual os anúncios desejados foram veiculados;
  2. Escolha a categoria: opte entre as duas categorias disponíveis: “Todos os anúncios” ou “Temas, eleições ou política”. Se estiver interessado em anúncios empresariais, selecione a primeira opção;
  3. Inicie a pesquisa: no campo de pesquisa, digite o nome da empresa que você deseja analisar. À medida que você digita, a ferramenta permite a escolha de uma página específica associada à empresa;
  4. Visualize os anúncios: clique na página desejada para visualizar os anúncios vinculados a ela. Se preferir ver resultados gerais para a palavra-chave, clique no ícone de lupa;
  5. Analise os resultados: na página de resultados, você verá detalhes de cada anúncio, incluindo texto, links, imagens, data de início da veiculação e as plataformas em que foram exibidos. Você pode clicar em “Ver detalhes do anúncio” para acessar diferentes versões da mídia paga, o que é útil para avaliar as mudanças nas estratégias ao longo do tempo.
tela de login do Facebook

Estratégias de mídia paga que fizeram a diferença para os nossos clientes

A Novo Mundo, cliente da Adtail, conquistou um notável aumento no ROI de 350% no Facebook após implementar ações estratégicas, como análises na Biblioteca de Anúncios.

Inicialmente, a empresa havia interrompido suas atividades na plataforma devido a resultados insatisfatórios. 

No entanto, uma análise detalhada revelou o potencial de conversão nas redes sociais, desmentindo a crença de que elas servem apenas para o engajamento, não para conversão.

A nossa equipe adotou uma abordagem data-driven para otimizar a estratégia. Isso incluiu uma revisão completa das tags e a implementação de campanhas de remarketing dinâmico.

Anúncios para um público novo, focando em produtos de ticket médio mais elevado, também foram introduzidos. (2)

Dicas avançadas e melhores práticas

Para aprimorar a análise de anúncios na Biblioteca do Facebook e otimizar campanhas de e-commerce, nossa equipe utiliza algumas estratégias avançadas. 

Vamos compartilhar um pouco do nosso segredo com você. Veja:

Aprofunde-se na segmentação de público-alvo

Explore a segmentação de anúncios de concorrentes na Biblioteca de Anúncios. Isso pode revelar informações valiosas sobre os grupos demográficos, interesses e comportamentos que eles estão direcionando. 

Use essas informações para afinar sua própria segmentação de público-alvo, identificando nichos pouco explorados e oportunidades de alcance mais eficaz. 

Além disso, considere a criação de personas de compradores com base nas descobertas da Biblioteca de Anúncios para direcionar estrategicamente seus anúncios, de acordo com o comportamento do usuário.

Analise as mensagens e ofertas de concorrentes

Analisar as mensagens e ofertas utilizadas por concorrentes pode inspirar a criação de conteúdo mais envolvente e estratégias de preços competitivas. 

Observe o tom da comunicação, os gatilhos emocionais e os incentivos oferecidos. 

Também identifique lacunas e oportunidades em relação às mensagens e às ofertas dos concorrentes, adaptando sua abordagem para se destacar.

Acompanhe as mudanças ao longo do tempo

A Biblioteca de Anúncios permite acompanhar as mudanças nas campanhas de seus concorrentes ao longo do tempo. 

Isso é fundamental para entender como eles ajustam as  estratégias em resposta a eventos sazonais, tendências do mercado ou concorrência. 

Monitore regularmente para identificar padrões, como quais meses têm mais anúncios promocionais e quais tipos de conteúdo são consistentes em suas campanhas. 

Use essas informações para planejar suas próprias estratégias sazonais e manter sua presença competitiva no mercado.

Adtail: especialistas em estratégias de mídia no Facebook

A experiência da Adtail em desbloquear o potencial da Biblioteca de Anúncios tem se destacado nas campanhas ativas de diversos clientes.

Ao escolher parceiros como a Adtail, você se beneficia do conhecimento especializado que pode transformar a sua presença online e os seus resultados financeiros. 

Sabemos que desbravar a Biblioteca de Anúncios do Facebook é algo desafiador. Porém, estamos aqui para ajudar o seu e-commerce a se desenvolver, aumentar as vendas e lucrar cada vez mais. 
Que tal bater um papo com alguém do nosso time? Estamos à disposição!

Saiba que, se você não estiver usando o Marketing baseado em dados, está perdendo grandes oportunidades de vendas! Entenda para vender mais!

O que é Marketing baseado em dados? 

O marketing digital se aproxima firmemente da tecnologia e dos seus benefícios para a performance de campanhas. Da mesma forma, a quantidade de informações geradas na rede só aumenta e se tornam cada vez mais precisas.

Assim, surge o Marketing baseado em dados, uma estratégia analítica que usa ferramentas para coletas de dados visando ter um melhor retorno de investimento. Isso quer dizer que as ações são criadas a partir de informações relevantes, ao invés do uso de percepções sem embasamento. 

Quais dados usar? 

Em um mundo em que a quantidade de dados é imensa, você deve se perguntar quais deve usar para definir novas estratégias para a sua marca, não é mesmo?

A verdade é que essa escolha depende dos objetivos de seu negócio. Por exemplo, se você busca maior autoridade e reconhecimento para a marca, é interessante incluir a taxa de aumento de reconhecimento e alcance.

De qualquer forma, se você tem um e-commerce é bom estar atento a algumas métricas, ou Key Performance Indicators (KPIs), como:

Desse modo, você saberá medir a eficiência de suas ações e entenderá o cenário atual a partir de pontos fortes, fracos, oportunidades e ameaças.

Usando as ferramentas certas 

Para extrair dados e analisá-los, você precisará acompanhar diferentes plataformas, conforme os seus objetivos. Descubra quais são as mais relevantes abaixo!

Google Analytics 4

Essa é uma das ferramentas mais completas do mercado e, melhor, é gratuita. Com o Google Analytics 4 é possível realizar medições do comportamento do usuário tanto no site quanto no aplicativo.

Entre os dados que ele traz, estão:

Além disso, é possível integrar o Google Analytics 4 a outras ferramentas que ajudam nas estratégias e na extração de dados, como Google Ads e Google Search Console, dos quais vamos falar adiante. 

Google Search Console 

A ferramenta analisa o comportamento dos usuários e a performance do site nas páginas de pesquisa do Google. Outro ponto interessante é que o Google Search Console gera relatórios com insights de desempenho e pontos técnicos que você pode usar para aumentar o tráfego orgânico. 

Google Ads 

Essa é a plataforma de anúncios do Google. O Google Ads  possibilita gerenciar anúncios em pesquisas, YouTube, Display, Gmail, Discovery Google Maps, entre outras plataformas.

Ele também apresenta dados de desempenho nesses lugares e possui diversas ferramentas. 

Meta Business Suite 

Já o Meta Business Suite é uma ferramenta para o gerenciamento de anúncios no Facebook e Instagram. Da mesma forma que o Google Ads, a ferramenta tem dados de desempenho dos anúncios, e mostra seu impacto e as interações geradas a partir deles. 

Sales Force e RD Station

Tanto o Sales Force quanto o RD Station são ferramentas de apoio para as estratégias de Inbound Marketing. Elas se destacam em ações de e-mail marketing. 

De que forma os dados podem ajudar meu negócio?

Quer entender como os dados alavancam os resultados de seu negócio na prática? Nós podemos explicar! Confira a seguir!

1. Aumento direto nas Vendas 

Os dados vão gerar informações como melhor período para campanhas e ações mais eficientes. Assim, sua equipe de Marketing saberá quais são os tipos de ações que devem ser usadas para uma maior conversão em vendas. 

2. Funil de Vendas 

O funil de vendas mostra os estágios na jornada de compra e os dados informam onde o cliente se encontra. Assim, será possível criar uma comunicação que condiz com o momento do usuário e gerar esforços para levá-lo a avançar no funil até a compra. 

3. Crescimento de marca 

O Marketing baseado em dados traz conhecimento de mercado e indica caminhos de como devemos agir com as campanhas. Dessa forma, seu negócio pode ganhar um reconhecimento maior, ou seja, pode trabalhar para um melhor posicionamento da marca, ou branding. 

4. Fortalecimento da base de clientes 

Quanto mais dados sua empresa coletar, maior será a sua captação de leads. Afinal, você terá informações de diversas áreas e plataformas.

5. Fidelização de clientes 

Os dados dos clientes são valiosos! Eles mostram seus interesses e comportamentos e, assim, você pode ofertar os itens de maior interesse deles, além de direcionar promoções personalizadas.

6. Influência na decisão de clientes 

O Machine Learning, ou aprendizagem de máquina, direciona anúncios de forma cada vez mais inteligente. Isso quer dizer que, a partir do Marketing baseado em dados, é possível  segmentar o público e entregar conteúdos relevantes àqueles com maior chance de conversão.

Como começar a usar o Marketing baseado em dados?

Temos certeza de que você gostou do Marketing baseado em dados e quer implementá-lo nas ações da sua empresa. Então, saiba que o ideal é contar com um time preparado e expert no assunto.

Na Adtail, temos profissionais que sabem interpretar os dados e ainda criar estratégias baseadas neles, sempre buscando alcançar as metas de seu negócio.

Quer saber como funciona? Então, visite o nosso site e descubra como a nossa agência usa a tecnologia para fazer a sua marca vender mais!

A autoridade no marketing digital para uma marca vai muito além de apenas estar presente nas redes. Ela envolve reconhecimento e, claro, mais vendas! Veja como isso acontece.

O que é ter autoridade no marketing digital?

Pense com a gente: atualmente é muito fácil estar presente nos meios digitais. Basta criar páginas em redes sociais, sites, blog e pronto! Sua marca estará presente na Internet!

No entanto, essa facilidade não significa ter autoridade no marketing digital. Na verdade, ela vai muito além da presença digital sendo construída com estratégias planejadas.

Dessa forma, autoridade no marketing digital é a condição de ser referência em um nicho tanto para consumidores quanto para parceiros e, claro, para os concorrentes. A marca que tem autoridade tem confiabilidade para o público e tende a crescer exponencialmente por esse motivo. 

Na prática, isso acontece quando uma marca presta um serviço de excelência e, por isso, é indicada para outras pessoas que confirmam a qualidade e, por consequência, indicam para outras novas pessoas.

Isso também é percebido pelos mecanismos de busca, como o Google, que mostram aos usuários o seu conteúdo.

Ou seja, a autoridade é o reconhecimento positivo de uma marca no mercado. 

Por que é preciso existir uma autoridade no marketing digital?

Lembra quando falamos como é fácil estar nas redes?

Pois é, isso possibilita que diversos negócios mostrem seus serviços, tornando a Internet um mundo infinito de mercados e conteúdos.

Nesse sentido, é preciso ter fatores de relevância que mostram resultados confiáveis e realmente interessantes para o usuário. Ainda, é preciso considerar a rapidez com que o mundo muda de comportamentos e ideologias, o que modifica também a relevância de certos conteúdos e produtos. 

Um exemplo disso é a Blackberry. A empresa era um grande sucesso no mercado de aparelhos com Internet e contavam com tecnologia de ponta. No entanto, a empresa não se atentou à experiência do usuário e, com a chegada de concorrentes como IPhone e Samsung, perdeu o glorioso espaço que tinha.

Em outras palavras, as empresas que se preocupam em construir autoridade no marketing digital têm mais chances de ser grande em seu nicho.

Veja os 5 passos para obter autoridade no marketing digital

Já explicamos que não basta estar presente nas redes sociais para conseguir a sonhada autoridade no marketing digital. Para você saber o que precisa fazer, separamos 5 dicas especiais. 

Confira!

1. Entenda quem é o seu público-alvo

O primeiro passo é entender quem é o seu público-alvo para conseguir se comunicar com ele de forma eficiente. Não adianta ter uma linguagem jovial, cheia de gírias e com conteúdos que fazem referência a séries teens se o seu público for mais maduro e formal, não é mesmo?

Assim, para não cometer erros como esse, faça pesquisas que definam quem é o seu público. Para isso, você pode usar os dados do Google Analytics e fazer perguntas e enquetes nas redes sociais.

Depois, você terá insumos para entender qual é o perfil das pessoas que se interessam por seu serviço.

2. Crie conteúdo direcionado ao seu público 

Após entender quem é o seu público, fica mais fácil saber quais são as dores dele para criar conteúdos que sejam relevantes. 

A ideia é conseguir mais leads para o seu funil de vendas, que será construído de acordo com os gatilhos necessários para que os consumidores fechem a compra de seu serviço ou produto. 

Portanto, a produção de conteúdo deve atrair o público e sanar as suas dúvidas.

Aqui, vale realizar estudos dos seus concorrentes para entender o que eles têm feito para conseguir clientes e quais são as suas falhas. Inspire-se e não cometa os erros da concorrência para se destacar no mercado competitivo.

3. Esteja presente em diversos canais

Presença multicanal significa estar em diversas redes para ter interação direta com o público e obter resultados exponenciais. Essa estratégia contribui para a autoridade no marketing digital, pois tem o benefício de gerar conexão com as pessoas.

Lembre-se que seu público já é multicanal. O que você precisa fazer é saber em quais canais ele está para também fazer parte deles. 

Outro ponto positivo é que, dessa forma, você abastece os mecanismos de busca. Afinal, quanto mais dados na rede, mais fácil para o seu público encontrar sua marca.

4. Trabalhe com Marketing de Conteúdo

Já explicamos como é importante criar conteúdo direcionado para o seu público. Estamos falando de um pilar essencial para a formação da autoridade no marketing digital e, por isso, trabalhar com o Marketing de Conteúdo pode transformar o seu negócio.

Essa estratégia está dentro do Inbound Marketing, que tem o objetivo de fazer as pessoas se interessarem por um serviço de forma sutil, sem precisar “bater na porta” delas.

No entanto, não basta simplesmente produzir conteúdo com temas relacionados ao produto. É importante que os conteúdos tenham origem de pesquisas que orientem a produção para que eles sejam, de fato, relevantes.

Nesse sentido, as técnicas de SEO devem ser somadas à estratégia para que a chance de sua marca ser encontrada pelos mecanismos de busca seja potencializada.

5. Mantenha o e-mail marketing ativo

Por meio do e-mail marketing, você estreita as relações com os leads com conteúdos diversos como:

Para isso, o indicado é usar o funil de vendas de forma que sua equipe de Marketing saiba o que deve ser direcionado a cada segmentação de leads

Crie autoridade no marketing digital com um time de alta performance

Você deve ter reparado que os 5 passos para gerar autoridade no marketing digital envolvem muita pesquisa e criação de estratégias. É, de fato, um planejamento e execução trabalhosos.

Mesmo assim, mantenha a calma! Você pode contar com o time de experts da Adtail para criar as estratégias adequadas para o seu negócio e alcançar o seu objetivo.

Visite o nosso site para saber como isso acontece e alcance autoridade no mercado digital!

Preparamos este conteúdo para você saber mais sobre o Marketing na Copa do Mundo e Natal de forma que consiga maximizar o retorno de campanhas específicas para o período. Aproveite!

Quais são as oportunidades do Marketing na Copa do Mundo e Natal?

As datas comemorativas são um propósito a mais para compras e, por isso, não se pode ignorar nenhum evento que envolva o consumo das pessoas. 

O fim de ano, por exemplo, traz o Natal e, consequentemente, um momento muito propício para as vendas de e-commerce. Quando, além disso, acontece também a Copa do Mundo, as oportunidades de venda se potencializam.

O Natal aquece o mercado com a procura de presentes para amigos, familiares e até mesmo colegas de trabalho nas brincadeiras de amigo-secreto. O melhor é que quase todos os nichos do mercado são procurados. 

Já a Copa do Mundo apresenta o esporte que é paixão nacional do brasileiro: o futebol. Nesse sentido, as pessoas se reúnem para assistir a jogos e, dessa maneira, buscam por formas de se divertirem mais e terem mais conforto. 

Essa é a hora de muitos consumidores procurarem por televisores e sofás novos, além de comidas e bebidas que tornam os momentos ainda mais especiais. 

No entanto, tenha em mente que, qualquer que seja o seu negócio, é possível aproveitar essas datas e trabalhar o Marketing na Copa do Mundo e Natal. A ideia é mostrar que sua marca não está alheia ao que está acontecendo e integrar as suas ações às datas, deixando-a mais próxima do público.

Só para ilustrar, imagine o nicho de decoração para a casa. Inicialmente, ele não tem nada a ver com a Copa, certo? Mas isso pode ser revertido se o negócio destacar itens em verde e amarelo, por exemplo.

Dessa maneira, será possível maximizar o retorno de campanhas já existentes e criar ações específicas para o período.

Lembre-se: não é apenas Marketing

Quando trabalhar o Marketing na Copa do Mundo e Natal, tenha em mente que sua empresa precisa ser estratégica para atrair consumidores, além de convencê-los a realizarem as suas compras. 

Consequentemente, será necessário estar preparado para um alto volume de compras e, por isso, esteja atento a alguns detalhes. 

Veja abaixo quais são.

Estoque

Imagine a situação em que você realiza muitas vendas, mas quando vai fazer a coleta, se depara com a falta de estoque. Além de sentir que perdeu em faturamento, o consumidor pode se sentir desrespeitado e parar de confiar em sua marca.

O melhor é evitar situações como essas e se planejar para datas que têm alto volume de vendas.

Atendimento ao consumidor

Com mais pessoas notando sua marca, maior será a necessidade de interação com o público. 

Aqui, é importante ter profissionais de social media atentos e profissionais de atendimento ao consumidor para quaisquer problemas e dúvidas que possam surgir. 

Logística

Os consumidores gostam de rapidez no recebimento de suas mercadorias. Quanto mais rápido você entregar, mais satisfeitos eles estarão e mais recomendações sua marca ganhará. 

Portanto, trabalhe com metodologias como o fulfillment e ofereça experiências incríveis para os clientes. 

Pós-vendas

Saiba que a relação com o cliente não acaba após o recebimento da mercadoria. Na verdade, é importante trabalhar com a fidelização e ainda aproveitar para pedir avaliações de seu serviço que ajudem outros usuários. 

Assim, você também gera conteúdo para a sua marca a partir de experiências reais. 

Pontos estratégicos do Marketing para vender mais

Primeiramente, para vender mais com o Marketing na Copa do Mundo e Natal, será preciso estabelecer metas. Faça um estudo para estabelecer o valor que precisa ser alcançado e, assim, ter ideias objetivas de ações. 

Reflita sobre o que faz sentido para o seu nicho, analise o que pode fazer parte de queimas de estoque e que tipo de promoção é possível criar de modo que consiga bastante retorno.

Ao estabelecer as metas, é fundamental se atentar às ações da concorrência, pois ela também estará no jogo e sua marca precisará se destacar de alguma forma.

Além das metas, existem pontos estratégicos do marketing que ajudam seu negócio a aproveitar as oportunidades de vendas no fim de ano. Veja a seguir!

1. Tráfego orgânico com SEO

Em datas de muita movimentação comercial, como o Natal, as ações de mídia paga ficam mais caras. Então, é importante também focar no tráfego orgânico.

Para isso, trabalhe com técnicas de SEO que farão sua marca aparecer para clientes em potencial. 

Contudo, não deixe para a última hora, pois os resultados de tráfego orgânico acontecem de médio a longo prazo.

2. Tráfego Pago

Apesar de se tornarem mais caras, não ignore o poder do tráfego pago. Afinal, quando feito de maneira correta, o investimento em anúncios pode trazer altas taxas de conversão

Durante o Natal e a Copa, invista em campanhas com carreguem as cores das datas, além de fazer referências a elas no texto.

3. Metodologia Inbound

A metodologia de Inbound faz as vendas chegarem até a sua marca a partir de estratégias que alcançam o público certo e estabelecem um relacionamento próximo com ele. 

Por isso, é necessário cuidar do visual, usar gatilhos nas Landing Pages, trabalhar com o e-mail marketing, manter diálogo com o público nas redes sociais, entre outras ações.

Por exemplo, durante a Copa, é possível criar conteúdos em redes sociais que se relacionem com o evento e com o seu produto.

Com isso em mente, você trabalha a maturidade dos leads dentro de seu funil de vendas.

4. Ações de CRM

Outra maneira de trabalhar o funil de vendas é a partir do gerenciamento de todos os contatos e interações com leads e clientes, ou seja, de CRM. Essas ações, aliás, aproximam a marca do público e geram confiança e fidelização.

Planeje as suas estratégias com uma equipe de experts

Precisamos enfatizar que, para um Marketing de Copa do Mundo e Natal ter sucesso, é preciso estar atento às estratégias o ano inteiro

É importante, por exemplo, treinar os algoritmos de plataformas de anúncio desde sempre para conseguir segmentar melhor o público e entregar as ações de marketing com mais assertividade. Isso pode ser feito, aliás, na Black Friday, para quem não se antecipou. 

Para trabalhar dessa forma, o melhor é confiar em profissionais da área e ter uma agência de marketing digital cuidando dessas datas. Desse modo, você consegue resultados expressivos ao aproveitar ao máximo as oportunidades.

Conheça mais sobre marketing digital e como se preparar para gerar mais oportunidades em nosso artigo sobre Jornada de Compra.

As palavras de transição para SEO são poderosas para transformar o seu texto em um conteúdo agradável e para ranqueá-lo nos primeiros lugares do Google. Saiba mais! 

O que são palavras de transição?

Se você já usou o plugin Yoast nas suas publicações, deve ter reparado que um de seus critérios de análise de texto são as palavras de transição. Mas você sabe o que elas são?

As palavras de transição são recursos da língua para deixar o texto mais fluido para a leitura. Assim, elas mostram a ligação entre orações e parágrafos e guiam o leitor na compreensão de ideias.

Só para ilustrar, leia o texto abaixo sem as palavras de transição:

  1. As palavras de transição são termos que mostram a ligação entre ideias. Deixam o texto agradável para a leitura e facilitam a compreensão do leitor. Elas são essenciais na redação de conteúdos para SEO.  

Use as palavras de transição para oferecer uma boa experiência ao usuário. 

Agora, leia o mesmo texto com a adição de palavras de transição. Elas estão em negrito:

  1. As palavras de transição são termos que mostram a ligação entre ideias. Ou seja, elas deixam o texto agradável para a leitura e facilitam a compreensão do leitor. Além disso, elas são essenciais na redação de conteúdos para SEO. 

Portanto, use as palavras de transição para oferecer uma boa experiência ao usuário. 

O exemplo 1 é bem estranho, não é mesmo? Isso porque faltam as palavras de transição! Já no exemplo 2 elas estão presentes e mudam completamente o texto para deixá-lo mais explicativo e confortável.

Quais são as vantagens do uso de palavras de transição?

Já falamos que as palavras de transição deixam o texto mais agradável para a leitura. Em outras palavras, elas são umas das responsáveis pela experiência do usuário em páginas de conteúdo.

Nesse sentido, as palavras de transição também são uma métrica dos algoritmos dos mecanismos de pesquisa para o ranqueamento de conteúdos. Afinal, buscadores, como o Google, consideram cada vez mais a boa experiência do usuário na hora de analisar conteúdos que consideram úteis.

Ao utilizar palavras de transição para SEO, você pode ter 2 benefícios principais:

Quais palavras de transição para SEO devo usar?

Entre as palavras de transição para SEO estão, principalmente, advérbios, conjunções e preposições. Veja a seguir algumas delas e seus exemplos.

Introdução

2. Continuação

3. Tempo

4. Semelhança ou comparação

5. Conclusão

Dicas para um bom texto

Na hora de redigir um texto para as suas páginas de conteúdo, como blog, você precisa usar as palavras de transição para SEO, além de usar outras estratégias para atrair e reter a atenção de seu público.

Por isso, separamos 5 dicas para um bom texto. 

Aproveite!

1. Priorize a experiência da leitura

Anteriormente, explicamos que os mecanismos de busca prezam pela experiência do usuário. Então, considere estruturar o texto com escaneabilidade. Para isso, utilize estratégias como:

2. Adeque sua linguagem conforme o público-alvo 

Cada negócio tem um público diferente com características que devem ser observadas para uma comunicação eficiente. Dessa maneira, se seu público é muito jovem e você usa uma linguagem muito formal e com termos técnicos, tenha certeza de que ele não se sentirá atraído pela sua marca.

O ideal é criar uma persona que oriente as estratégias de branding voice

3. Procure boas referências 

Na hora de elaborar um conteúdo, procure boas referências no assunto para se inspirar e extrair informações. Se quiser ir além do Google, pesquise em lugares como:

Obviamente, o plágio não pode ser usado e é punido pelos algorítimos do Google

Para trazer credibilidade a seu conteúdo, cite dados e pesquisas que o embasam. 

4. Tenha riqueza de palavras 

Quando falamos em estratégias de SEO, é impossível deixar de lado o uso de palavras-chave. De fato, elas precisam ser repetidas, mas isso não quer dizer que seu conteúdo tenha que se tornar redundante.  

Portanto, use sinônimos, palavras de transição para SEO e revise o texto algumas vezes para ter certeza de que o conteúdo é de fácil compreensão e explicativo. 

5. Ofereça um conteúdo útil 

O update do conteúdo útil do Google surgiu para reforçar a importância de textos que realmente tirem as dúvidas do leitor com autenticidade e informações relevantes

Dessa maneira, para um bom posicionamento na página do Google, além de evitar o plágio, é preciso estar atento para não “encher linguiça” ou tratar de assuntos que não são de interesse de seu público. 

Use estratégias de conteúdo focadas em resultados 

Agora você já sabe o que são as palavras de transição para SEO e o que deve fazer para escrever um texto interessante para o seu público. 

No entanto, saiba que a produção de conteúdo de seu negócio também envolve diversos outros fatores. Desse modo, você precisa estar atento a eles para destacar a sua marca em meio à competitividade.

Para isso, a Adtail tem uma equipe de experts em estratégias e produção de conteúdo que ajudam o seu negócio a atingir os resultados que deseja.

Quer saber mais? Visite o site e conte com conteúdos baseados em estratégias de Marketing Digital para a sua empresa!

Você sabe o que é SEO e qual é o seu objetivo?

Bem, SEO é a sigla para “Search Engine Optimization”, que em tradução livre para o português tem o significado “Otimização para Mecanismos de Busca”. Ou seja, SEO se refere ao conjunto de técnicas que visam melhorar o posicionamento de páginas nos resultados orgânicos.

Isso quer dizer que essas técnicas são usadas no lugar do uso de anúncios pagos, que surgem bem posicionados nas páginas de busca por comprarem aquele espaço. 

Certamente, o site de busca mais famoso do mundo é o Google e, por isso, ele é o mais citado quando falamos de SEO. No entanto, existem muitos outros sites com o mesmo objetivo dele, como:

As técnicas de SEO têm, cada vez mais, feito parte das estratégias de negócios digitais que buscam fazer com que sua marca seja reconhecida no mercado e, assim, atrair novos clientes.

Como sabemos bem que esse é o objetivo de sua empresa, preparamos este conteúdo que irá ajudar você a entender o funcionamento do SEO e a aplicar as técnicas certas para o seu negócio se destacar. 

Vem saber mais!

Como surgiu o SEO? 

Apesar de ser o mais famoso, o Google não é o primeiro site de busca da Internet. Na verdade, o pioneiro foi o Archtext, que surgiu em 1993 e se tornou o Excite. O Google só se tornou um projeto maduro em 1997.

Larry Page e Sergey Brin, então alunos de Stanford, tinham o objetivo de criar um mecanismo que desse conta de buscas em larga escala e, por isso, batizaram o projeto de “Google”, em referência ao número Googolplex (1 seguido por 100 zeros). 

Para organizar essa grande quantidade de dados, Larry Page criou o PageRank, uma métrica para medir a autoridade de uma página. Com o PageRank, foi possível calcular a quantidade e qualidade de links recebidos por páginas para classificá-las em escala de 0 a 10, sendo 0 as de pouca relevância e 10 as de extrema relevância.  

Atualmente, o PageRank é uma métrica interna do Google e não tem consequências no ranqueamento das páginas.

Ainda em 1997, houve a publicação do livro escrito por Bob Heyman, Leland Harden e Rick Bruner, “Net Results”. Os autores descobriram que o posicionamento do site da banda Jefferson Starship foi para a primeira posição após incluírem constantemente o nome da banda como palavra-chave nos conteúdos do site.

A essa técnica, os autores chamaram de “Search Engine Optimization”. 

Com o tempo, o Google se popularizou e surgiram profissionais de SEO, que incluíram a métrica de links às técnicas de inclusão e repetição de palavras-chave (keywords). 

Hoje, muitas das técnicas da época são consideradas prejudiciais e, por isso, não fazem parte do trabalho de profissionais de SEO.

Vantagens do SEO e do tráfego orgânico

Até aqui, você já sabe que o SEO posiciona o seu conteúdo nos primeiros lugares dos mecanismos de busca para que seu negócio alcance os objetivos de conversão. Mas os benefícios não acabam aí.

O SEO gera tráfego orgânico, ou seja, visitas espontâneas em seu site e, consequentemente, outras vantagens, como:

Como o Google funciona?

Como afirmamos anteriormente, o Google não é o único site de mecanismo de busca, mas é o mais usado. Por isso, falaremos muito nele neste artigo. 

A Internet tem infinitas páginas de sites e seria impossível organizá-las sem algoritmos de alta complexidade. Basicamente, o Google usa 3 processos para o ranqueamento:

Tenha em mente que as técnicas de SEO on-page devem ser usadas para todas essas fases, pois o Google mantém robôs com mais de 200 fatores de ranqueamento. Esses fatores surgiram a partir de constantes atualizações.

Veja a seguir quais são elas:

Técnicas de SEO para otimizar o seu site

Há 3 tipos de otimização SEO: on-page, off-page e técnico. Todos eles têm a mesma importância e são indispensáveis em estratégias de tráfego orgânico. 

A seguir, entenda como cada um deles funciona e quais são as técnicas aplicáveis.

três dados em cima da mesa, cada um com uma letra, formando a palavra SEO.
Há 3 tipos de otimização SEO: on-page, off-page e técnico.

SEO on-page

O SEO on-page são as otimizações que podem ser realizadas direta e internamente no site. Elas buscam a melhor experiência do usuário e, por isso, consideram elementos estruturais da página e de seu conteúdo.  

Confira as técnicas de SEO on-page que você deve aplicar.

1. URL amigável

Ter URL amigável significa elaborá-las de forma objetiva. Elas devem ser curtas e incluir a palavra-chave que ajude a identificar o assunto da página. 

Aqui, o melhor é não utilizar códigos que nada dizem ao usuário, mas palavras que carregam o significado que ele precisa

2. Título e descrição atrativos

Na página de resultados do Google, o usuário visualiza o título e a descrição de seu conteúdo. Então, considere usar uma linguagem acessível para o seu público e se esforce com criatividade e gatilhos que chamem a atenção.

O título e descrição para SEO também são conhecidos como tag title e meta description.

Além disso, é importante informar, de fato, o que o usuário encontrará na página. Vale a máxima: não prometa o que não pode cumprir!

3. Conteúdo útil

O Google pune conteúdos que contém plágio e busca por páginas com informações que respondam às perguntas e dores dos usuários. Inclusive, o Core Update de 2022 identifica conteúdos originais e relevantes para priorizá-los nos resultados de busca. 

Então, é preciso ir muito além do uso de palavras-chave.

4. Conteúdo de fácil compreensão

Outra técnica de SEO é a escaneabilidade. O conteúdo precisa ser fácil de ser visualizado e fácil de encontrar informações justamente para oferecer uma boa experiência ao usuário. 

Dessa forma, é importante “quebrar” o texto em partes menores para simplificar as frases e garantir leveza visual.

Para ajudar os mecanismos de busca a entender o seu conteúdo, utilize técnicas como:

mulher utilizando um notebook. há um celular ao lado do aparelho, mostrando que diferentes telas estão presentes no dia-a-dia das pessoas
A escaneabIlidade permite uma ótima experiência de leitura para o visitante.

5. Arquitetura intuitiva

Considerando que o Google preza pela boa experiência do usuário, as páginas precisam apresentar uma arquitetura da informação sem poluição visual e que não levem a uma usabilidade confusa. 

Portanto, os menus precisam ser organizados por ordem de importância para o usuário encontrar as informações rapidamente. 

Além disso, é importante desenvolver os sites a partir da técnica de mobile first, que considera, primeiramente, as características de visualização em dispositivos móveis. 

6. Semântica

Os robôs do Google conseguem compreender a intenção de busca do usuário a partir da semântica. Por isso, as palavras-chave, ou keywords, são importantes para o SEO de e-commerces.

Elas precisam ser usadas nas descrições de produtos, URLs e títulos.

7. Links internos

Os links internos são aqueles que vinculam URLs diferentes do mesmo site e encaminham os visitantes a outras páginas. Eles são fundamentais, pois o Google entende sua autoridade no nicho.

Para utilizar os links da melhor forma, crie páginas âncoras, ou pillar pages, com links que tratam de assuntos relacionados.

8. Otimização em imagens

As imagens não podem ser ignoradas nas estratégias de marketing de uma empresa por deixarem as páginas mais bonitas e atraírem o olhar dos visitantes. Da mesma forma, o SEO também não pode ser deixado de lado no uso delas.

Nesse sentido, há dois tipos de otimizações em imagens: estéticas e técnicas.

As estéticas se relacionam com fotos de alta qualidade e úteis para o usuário. Já as técnicas fazem os robôs dos sites de mecanismos de buscas entenderem o conteúdo da imagem, já que o Google, por exemplo, ainda não consegue ler imagens com exata precisão

As técnicas de SEO para otimização de imagens são:

9. Featured Snippet

Na página de resultados do Google, é comum surgir uma caixa de resposta curta e objetiva em destaque. Ela é um featured snippet, ou posição 0. 

Existem algumas práticas para que seu texto seja destacado pelo Google. Por exemplo: 

SEO off-page

De forma resumida, o SEO off-page acontece fora do domínio do site. No entanto, ele traz resultados diretos para o posicionamento das páginas. Veja a seguir as técnicas principais.

1. Presença digital

As menções à sua marca fazem o Google entender a sua importância e autoridade no mercado. Desse modo, esforce-se para receber avaliações positivas de usuários, ter uma base de seguidores engajados nas redes sociais e esteja presente em diversos canais de comunicação

2. Link building

Outra técnica de SEO off-page é o link building, ou seja, links de outros sites que apontam para o seu domínio. Isso pode acontecer de diversas formas, como:

SEO técnico

Ao contrário do SEO on-page e off-page, que estão muito relacionados ao conteúdo e à semântica, o SEO técnico se refere a técnicas que envolvem usabilidade, programação e desempenho de sites.

Assim, as técnicas mais utilizadas apresentam os fatores que elencamos abaixo. 

1. Experiência do usuário

A experiência do usuário, muito conhecida por UX, é a interação do usuário com o site. Para ser positiva, é preciso trabalhar diversos aspectos que evitem as altas taxas de rejeição no site. 

Para saber sobre a experiência do usuário em seu site, consulte o Google Analytics

2. Performance e tempo de carregamento

Em 2010, o Google informou que o tempo de carregamento é um dos fatores de ranqueamento. A empresa preza pela velocidade de carregamento dos sites porque sabe que o usuário tende a não esperar páginas que demoram muito a carregar.

Após a atualização de Core Web Vitals, essa métrica passou a ter ainda mais relevância.

3. Site seguro

Você já deve ter percebido que o Google Chrome tem alertas de “site não seguro” para os usuários. De maneira semelhante, a segurança de sites é um fator de ranqueamento para o mecanismo de buscas.

Dessa maneira, os sites precisam ter HTTPS, que permite dados autênticos e criptografados. 

4. Sitemap

O sitemap, ou mapa do site, facilita o trabalho dos robôs no entendimento da estrutura de um site. Há algumas ferramentas que geram o arquivo de sitemap, como XML-Sitemaps e Yoast.  

5. Dados estruturados

Os dados estruturados padronizam o conteúdo de uma página para poder classificá-la. Por exemplo, você pode marcar uma página de receitas com os dados estruturados para que o Google entenda do que se trata

6. Página de erro 404

É verdade que erros acontecem no carregamento de sites. Contudo, esses erros podem ter efeitos negativos reduzidos com estratégias simples.

Por exemplo, ao surgir uma página de erro 404 em um produto que o usuário desejava ver, o site pode indicar produtos similares. Ou seja, a ideia é redirecionar o visitante a páginas relevantes para ele. 

7. Redirecionamentos

Como nas páginas de erros, os redirecionamentos são muito importantes para casos de migração ou exclusão de páginas. Existem 2 tipos de redirecionamentos:

  1. Redirecionamento 302: mostra aos mecanismos de busca que você está aplicando alguma melhoria ou mudança. É temporário.
  2. Redirecionamento 301: mostra aos mecanismos de busca que eles podem considerar apenas a nova página. É definitivo.

8. URL canônica

No caso de páginas com conteúdo duplicado, como categorias de produto que possuem paginação, é possível inserir um código dentro da seção <head> para indicar aos buscadores qual é a página principal. O código é:

<link rel=“canonical” href=” endereço-do-site /institucional”/>

Afinal, o SEO é só para Google?

É claro que não! Mais uma vez, o SEO serve para qualquer site de mecanismo de busca. Confira abaixo outros espaços que você pode trabalhar as técnicas e que vão além do Google. 

SEO para YouTube

Muita gente não sabe, mas o segundo maior site de buscas do mundo é o YouTube. É isso mesmo! A plataforma é constantemente vista apenas como uma plataforma de vídeo, o que é verdade. No entanto, ela também é um buscador.

Mão segurando um celular com a tela ligada na página inicial do Youtube. Fundo da foto vermelho.
 O YouTube também é um site de buscas.

Por isso, vale uma atenção especial para a plataforma e um projeto de gerenciamento de canal nela. Entre os fatores de ranqueamento do YouTube, estão:

SEO local

Quando você deseja alcançar visitantes da sua região, o melhor é trabalhar o SEO local, que mostra a sua localização nas buscas feitas. 

Para isso, invista em palavras-chave relacionadas à região e no Perfil da Empresa do Google

ASO

O ASO é a sigla para App Store Optimization e, diferentemente do SEO que serve para sites, esse é um tipo de otimização para os aplicativos

Contudo, você pode se apoiar no SEO para as estratégias de ASO. Por exemplo, repita as mesmas palavras-chave e crie URLs otimizadas. 

Otimize seu site com uma equipe de experts 

Para trabalhar com estratégias que levam ao tráfego orgânico através de SEO, é importante contar com uma agência de marketing digital. Por isso, conheça a melhor: Adtail

Nós temos um time especializado em SEO que trabalha com soluções voltadas à alta performance e resultados para o seu negócio. Entre as ações estão a auditoria e consultoria para entender e desenvolver as melhores estratégias que atraem o seu público-alvo.

Visite o site da Adtail e veja como é possível otimizar o seu site com especialistas em SEO e gerar os resultados transformadores.

Sabia que a Black Friday pode ser trabalhada o ano inteiro? Que técnicas de SEO são grandes parceiras na data? A gente explica como! Confira!

O que é SEO? 

Antes de tudo, SEO é a sigla para “Search Engine Optimization”, ou “Otimização para Mecanismos de Buscas” em português. Isso quer dizer que o SEO lida com técnicas que farão os buscadores encontrar determinados dados na Internet.

Esses buscadores são sites como o Google, Yahoo! e Bing. Sem dúvida, o Google é o mais famoso e utilizado entre eles. Por isso, falaremos mais dele neste artigo.

Em resumo, SEO é o conjunto de estratégias que tem o objetivo de melhorar o posicionamento de um site nas páginas de resultados orgânicos. 

Ou seja, é um esforço para que sua página apareça nas primeiras posições do Google sem que seja necessário recorrer ao tráfego pago.  

Por que se preparar para a Black Friday?

A Black Friday é uma das datas mais esperadas pelo varejo e não é à toa. Afinal, estamos falando de uma grande promoção de produtos e serviços que envolve lojas físicas e on-line.

A Black Friday surgiu nos Estados Unidos e acontece anualmente, sempre na última sexta-feira de novembro.

No entanto, muitas lojas fazem promoções mensais ou semanais para conseguirem mais lucro.

Segundo a pesquisa do UOL, a Black Friday é o momento em que muitas pessoas aproveitam para garantir um produto que se deseja há muito tempo. 

Além disso, em 2021, o faturamento com as vendas na data foi 5% maior do que em 2020. Com a maioria da população vacinada contra Covid-19 e a consequente flexibilização para diversas atividades, as expectativas para os próximos anos são otimistas.

Nesse sentido, é fundamental se preparar para aproveitar a oportunidade de realizar muitas vendas.

Por que as técnicas de SEO são importantes para a Black Friday?

Uma das formas de se preparar para a Black Friday é por meio das técnicas de SEO. Elas tornarão seu site mais atrativo para os robôs do Google e o mostrarão nos primeiros lugares da pesquisa de clientes em potencial.

Ainda segundo a pesquisa do Uol, 92% dos consumidores pesquisam os preços dos produtos na Internet antes da Black Friday.  Além disso, 37% fazem suas buscas com dois ou mais meses de antecedência.

Portanto, entender esse momento em que o mercado está aquecido pode fazer a diferença no planejamento de vendas. Uma das estratégias mais importantes é estar bem posicionado na página do Google.

Assim, seu negócio terá destaque e maiores chances de conversão em vendas.

Como otimizar o site com técnicas de SEO?

Felizmente, ao otimizar seu site com técnicas de SEO, você terá resultados o ano inteiro. Além da Black Friday, seu site poderá estar recorrentemente na primeira página dos buscadores.

Para isso, você precisará fazer algumas otimizações nas páginas de seu site. Abaixo, listamos 3 técnicas de SEO que irão ajudar seu negócio a vender mais. 

Confira!

1. Tenha atenção ao título e descrição da página

Para o Google, há um limite de caracteres para que sua página apareça com as informações mais relevantes por completo. Para o título, o ideal é de até 60 caracteres. Já a descrição pode ter de 30 a 160 caracteres.

Além disso, chame a atenção com textos atrativos e criativos. Instigue a curiosidade para que o usuário clique no seu site.

2. Otimize as imagens

As imagens, além de serem bonitas e ilustrarem o serviço e produto fielmente, devem ser otimizadas para SEO. Afinal, vídeos, imagens e gráficos também fazem parte de seu conteúdo.

Infelizmente, o Google não consegue ler o conteúdo das imagens para selecioná-las para os usuários. 

Contudo, você pode otimizar as imagens com textos nas nomeações dos arquivos, texto alternativo e descrições.

3. Use palavras-chave

As palavras-chave resumem os temas principais de seu negócio. E são os termos usados pelos usuários que procuram seu produto e serviços.

Dessa forma, é importante saber quais são as que seus clientes usam. Para isso, você pode utilizar ferramentas como o Google Trends

Depois, insira-as naturalmente nos conteúdos da marca.

Conheça outras dicas para uma Black Friday de sucesso 

Além das otimizações de SEO, existem outras estratégias que farão o seu negócio aproveitar ao máximo a Black Friday. 

Veja quais são!

1. Trabalhe a Black Friday o ano inteiro

A Black Friday só acontece em novembro, mas isso não impede que você fale dela durante os outros meses. 

O ideal é ter uma página permanente exclusiva sobre a data. Nessa página, trabalhe as tags, descrições e todo o conteúdo com a palavra-chave “Black Friday”.

Repare que grandes players geralmente possuem o link no rodapé do site o ano inteiro. Veja o exemplo abaixo:

Legenda: Rodapé de e-commerce com link para Black Friday.

Alt text: imagem do menu de rodapé de uma loja online, onde encontramos links para as páginas “Dúvidas”, “Atendimento para internet ou Televendas”, “Nota Fiscal Paulista”, “Como pagar” e “Black Friday”.

2. Crie expectativas

Mais uma vez, as pessoas costumam pesquisar sobre a Black Friday bem antes da data. Então aproveite a oportunidade para criar expectativas para as promoções de sua marca.

Um dos recursos mais utilizados é a contagem regressiva. Ela pode estar exposta nas páginas do site e nas redes sociais.

Outra forma de chamar a atenção e criar expectativas é fazer uma lista dos produtos mais vendidos na Black Friday do ano anterior.

3. Não perca o timing

Não adianta fazer as otimizações 30 dias antes da Black Friday, pois elas só farão efeito após pelo menos três meses de aplicação. Portanto, para estar bem posicionado na data, comece as otimizações o quanto antes.

Uma frase comum no meio diz que “o melhor momento para pensar na Black Friday do próximo ano é assim que a Black Friday deste ano acaba”

4. Gere identificação com o público

Outro ponto importante é a comunicação com o seu público.

Assim, estude o seu público para se comunicar de forma que gere identificação e o faça se sentir mais próximo da sua marca. 

Aborde os assuntos de interesse dos clientes e esteja à disposição para tirar dúvidas. Aliás, é importante ter uma página de dúvidas frequentes para acelerar o tempo de decisão de compra.

Se você chegou até aqui, percebeu que precisa começar a trabalhar a Black Friday agora mesmo, certo? Então, é hora de conhecer a Adtail e seus serviços de marketing que impulsionam vendas.

A Adtail pode criar um planejamento estratégico para a Black Friday de seu negócio com muita inovação e criatividade. 

Visite o site e descubra como isso acontece.

O marketplace está na moda. Ele facilita a vida de lojistas que não sabem como começar e oferece apoio para vendas. Mas, também existem muitas desvantagens. Confira!

O que é marketplace?

Você sabe o que significa marketplace? Bom, o marketplace é um modelo de negócio que funciona como um shopping virtual.

Portanto, como a própria tradução indica, marketplace é uma plataforma digital que reúne diversas lojas em apenas um local. Assim, diversas marcas e vendedores se encontram no mesmo local.  

Só para ilustrar, exemplos famosos são o Mercado Livre, Marketplace Facebook (Meta) e Amazon.

Existe diferença entre marketplace e loja virtual?

Antes de tudo, saiba que tanto o marketplace quanto a loja virtual são parte do que chamamos de e-commerce (comércio eletrônico). Entretanto, os dois apresentam modelos de funcionamento diferentes.

Mais uma vez, o marketplace agrupa vários vendedores que utilizam da mesma plataforma para vender seus produtos e serviços. Então, quem cuida do marketing e da logística é o administrador do marketplace. 

É importante lembrar que o dono do marketplace cobra uma taxa de comissão das vendas. Ou, uma mensalidade para a hospedagem da loja.

Por outro lado, a loja virtual é de apenas um vendedor. Em consequência, esse vendedor cuida sozinho ou com ajuda de uma agência de marketing de diversos aspectos. Entre eles, estão o branding, a logística e a experiência do usuário.

Por que utilizar o marketplace?

Veja bem, especialmente após o isolamento social, o marketplace no Brasil e no mundo tem ganhado expansão.

E mais, além do contexto de pandemia, existem outros fatores que fazem os lojistas procurarem um marketplace para vender seus produtos. Isto é, estamos falando de vantagens para quem quer um apoio no seu processo de vendas.

Confira três delas a seguir!

1. Maior visibilidade

Se sua loja é nova, o marketplace para vender pode ser o seu melhor lugar. Afinal, você ainda está construindo sua cartela de clientes. E o marketplace é visto por um alto número de usuários da Internet.

As plataformas já possuem um público consolidado. Então, se tornar uma opção de compras no site expõe a loja a um maior número de compradores em potencial.

2. Aumento das vendas

Consequentemente, quanto mais visibilidade, há o aumento de vendas. Imagine que uma pessoa precise comprar uma cadeira. Ao acessar o marketplace, ela encontrará modelos em lojas já famosas no mercado. Bem como em lojas iniciantes.

3. Crescimento do negócio

Dentro do marketplace, você é encontrado por pessoas de diferentes lugares e perfis. Dessa forma, a diversidade de público possibilita a venda de novos produtos. Que vão satisfazer nichos específicos.

Essa é uma forma de desenvolver seu negócio e se destacar no mercado.

Por que NÃO utilizar o marketplace?

Bom, a verdade é que nada é perfeito. O marketplace também pode apresentar problemas que trazem dor de cabeça para você. Por isso, separamos algumas desvantagens desse modelo de negócio. Para você pensar muito bem antes de entrar. 

Continue a leitura!

1. Dependência da plataforma

Isso mesmo, apesar dos benefícios em oferecer seus produtos no marketplace, existe o lado da dependência da plataforma. Que pode ser um entrave para a sua empresa.

Há o risco de aumento de taxas e comissões sem que seu negócio esteja preparado financeiramente para a mudança. E mais, outra coisa que pode acontecer é o marketplace encerrar suas atividades. Deixando sua loja sem canal de venda.

Daí, o melhor é montar sua própria loja virtual.

2. Layout e processos engessados

Como o marketplace precisa atender a uma variedade de lojistas, ele precisa trabalhar com layouts e processos padronizados. Essa é uma tentativa de enquadrar todas as lojas de forma igualitária.

No entanto, isso gera layouts e processos engessados. Que apresentam pouca inovação e criatividade. Além disso, há pouca ou nenhuma possibilidade de personalização de páginas e campos de informação.

Em uma loja virtual, você tem liberdade para esses aspectos.

3. Falta de personalização

Justamente por atender muitos lojistas, as lojas ficam sem personalidade. Quase não é possível trabalhar as cores, linguagem ou layout da landing page para que o usuário reconheça sua marca.

Isso afeta seu desempenho em ser reconhecido nas redes sociais e em estratégias de recompra. 

Do contrário, com uma loja virtual, há personalização. E a identidade da marca é facilmente entendida e reconhecida pelos usuários.

4. Redução de lucratividade

Com as taxas que, muitas vezes, são altas, há também a redução de lucratividade. Uma parte das vendas é direcionada para o marketplace. Então, é preciso prever essa porcentagem no seu planejamento e evitar um descontrole financeiro.

Como há a possibilidade de comparação dentro do próprio site, diversos fatores se tornam mais competitivos. Inclusive o preço.

Então, o marketplace é o melhor lugar para o seu negócio? Ou prefere abrir uma loja virtual?

Como escolher a melhor plataforma de marketplace?

Se mesmo após saber das desvantagens, você quiser ingressar no marketplace, precisa considerar alguns aspectos na hora de escolher uma plataforma. Tais como:

Após considerar esses aspectos, estude e analise os marketplaces que mais chamaram a sua atenção para decidir qual a melhor opção. Tenha em mente que não existe o marketplace perfeito. E os problemas de engessamento que eles têm.

Otimizações: SEO na plataforma

Mesmo que os marketplaces já trabalhem com estratégias de SEO e se apresentem como autoridades, você pode realizar otimizações para potencializar a compra e venda.

Infelizmente há pouca autonomia para se destacar no Google quando se usa o Marketplace. No entanto, é possível realizar otimizações internas na ferramenta.

Entre elas, está o uso de palavras-chave, que devem partir de um estudo anterior sobre as buscas dos usuários na Internet. Insira essas palavras-chave no título e descrição do produto.

Outros pontos importantes estão listados abaixo.

Adtail: a agência perfeita para aumentar suas vendas

Se você deseja vender na Internet fora do marketplace e criar seu próprio site, conte com uma agência de marketing que saiba o que fazer, como a Adtail.

A Adtail atende diversos segmentos dentro do digital e cria soluções com muita inovação e criatividade.

Então, conheça a agência e fale com um especialista. Você vai descobrir como sua loja virtual pode entregar resultados com estratégias focadas em alta performance.