Melhorar as taxas de conversão é uma meta importante para qualquer estratégia de marketing, concorda? É nesse sentido que o lookalike tem se mostrado uma ferramenta essencial.

As táticas com lookalike surgem como uma solução eficaz, permitindo a identificação e atração de um público semelhante aos seus melhores clientes, otimizando assim as taxas de conversão. 

Acreditamos que o trabalho com foco em lookalike tem potencial para ser um divisor de águas para suas campanhas, garantindo eficiência e qualidade no funil de vendas

Descubra o potencial dessa ferramenta e como ela pode transformar seus resultados publicitários, a seguir. Tenha uma boa leitura!

Índice

O que é lookalike no marketing?

Lookalike é uma estratégia de marketing digital criada pela Meta em 2018, projetada para ajudar marcas a atingirem públicos mais específicos por meio de anúncios segmentados. 

Essa abordagem utiliza dados dos usuários da rede social para identificar e segmentar grupos demográficos com maior probabilidade de interesse nas ofertas da marca, otimizando assim a eficácia publicitária.

Funcionamento do lookalike

O funcionamento do algoritmo lookalike se baseia na análise de dados e características relevantes do público-alvo da marca, como localização, idade, gênero e comportamentos online. 

Com essas informações, o algoritmo procura por usuários que compartilham essas mesmas características, criando uma espécie de “espelho” do público-alvo já existente.

A implementação de uma campanha lookalike começa com a seleção de uma fonte de audiência – que pode ser uma lista de clientes, interações em uma página do Facebook ou ações específicas em um site. 

A partir dessa fonte, o algoritmo identifica os padrões de comportamento e as características demográficas, usando-os para encontrar novos usuários com perfis semelhantes.

Estrategicamente, o uso de lookalike permite uma segmentação mais precisa, aumentando as chances de engajamento e conversão. 

Diferente de abordagens genéricas, que dispersam a mensagem publicitária por um vasto público, o Lookalike foca em indivíduos com propensão a se interessar pelo produto ou serviço oferecido, elevando a eficiência dos gastos publicitários.

Além de ampliar o alcance dentro de segmentos de mercado relevantes, as campanhas lookalike também contribuem para a descoberta de novos nichos de mercado potencialmente lucrativos. 

Ou seja, elas garantem uma expansão sustentável do público-alvo sem comprometer a relevância ou a qualidade dos leads gerados. 

Assim, o lookalike se estabelece como uma ferramenta interessante para marcas que buscam maximizar o retorno sobre o investimento em publicidade digital.

Afinal, o algoritmo atua refinando continuamente as estratégias de segmentação para alcançar públicos cada vez mais alinhados com os objetivos comerciais da organização.

Tipos de lookalike

É importante compreender que existem diferentes tipos de lookalikes, cada um com sua aplicabilidade e vantagens específicas. Entre os principais deles, destacamos:

Lookalike de cliente

Baseado nos dados de clientes existentes, este tipo de lookalike é ideal para empresas que já têm uma base sólida de clientes satisfeitos e buscam expandir o seu alcance para encontrar novos consumidores com perfis semelhantes. 

Ao utilizar informações como histórico de compras, preferências e comportamentos de consumo, é possível criar anúncios altamente direcionados que ressoam com este novo público.

Lookalike de visitante do site

Esse modelo é utilizado por marcas com uma presença online significativa. Por meio do rastreamento de visitantes do site que não necessariamente efetuaram uma compra, mas demonstraram interesse, as empresas podem direcionar seus esforços para alcançar usuários com padrões de navegação similares. 

Assim, esse modelo do algoritmo ajuda a converter visitantes em clientes ao refinar a segmentação e apresentar anúncios que correspondam aos interesses deles.

Lookalike de engajamento em redes sociais

Focado no engajamento dos usuários com conteúdo em plataformas sociais, seja por curtidas, comentários ou compartilhamentos, esse tipo de lookalike permite que marcas identifiquem e alcancem indivíduos propensos a interagir com seus conteúdos. 

Essencial para campanhas de branding e awareness, ele ajuda a fortalecer a presença online e a lealdade à marca, engajando um público já predisposto a se conectar com a empresa nas redes sociais.

Lembre-se: cada tipo de lookalike oferece vantagens únicas, permitindo que as marcas alinhem suas estratégias de marketing digital às necessidades e objetivos específicos. 

Seja para aumentar vendas, reforçar a presença online ou estimular o engajamento, os algoritmos se apresentam como soluções flexíveis e eficazes para o crescimento sustentável no ambiente digital.

Como fazer o lookalike?

Para criar uma campanha de segmentação de clientes lookalike, devem ser seguidos alguns passos. São eles:

1º passo: identifique a sua fonte de audiência

A qualidade do público lookalike depende diretamente da qualidade da sua fonte de audiência. 

As fontes podem ser uma lista de clientes existentes, pessoas que interagiram com sua página no Facebook ou usuários que tomaram ações específicas em seu site, por exemplo.

Selecione uma fonte de audiência que represente bem o seu cliente ideal e utilize-a.

2º passo: acesse o gerenciador de anúncios da Meta

O lookalike é uma funcionalidade oferecida principalmente pelo Facebook, então você precisará acessar o Gerenciador de Anúncios para criar seu público.

Crie seu público-alvo: Dentro do Gerenciador de Anúncios, selecione a opção “Públicos” e depois “Criar Público” para escolher “Lookalike Audience”. Você será solicitado a selecionar a sua fonte de audiência previamente identificada.

3º passo: defina os parâmetros do seu público lookalike

Escolha o país ou a região onde deseja encontrar seu novo público. Em seguida, ajuste o tamanho do seu público lookalike. 

Uma porcentagem menor cria um público mais parecido com sua fonte, enquanto uma porcentagem maior aumenta o alcance, mas diminui a semelhança.

4º passo: ajuste e refine

Após criar seu público lookalike, use-o em suas campanhas publicitárias. Monitore o desempenho da campanha e faça ajustes conforme necessário.

É possível, se for preciso, ajustar a sua fonte de audiência ou ajustando os parâmetros do público Lookalike para otimizar a relevância e o retorno sobre o investimento.

Ao seguir esses passos e monitorar o desempenho de suas campanhas, as marcas podem melhorar significativamente seu alcance e relevância. 

Coloque tudo em prática e conecte-se com novos usuários com grandes chances de se interessar por seus produtos ou serviços.

Banner de divulgação: Aumente a eficiência das suas estratégias com o guia de performance data driven

Quais são os benefícios do lookalike para os negócios?

O uso de Lookalike Audiences traz uma série de benefícios significativos para os negócios, principalmente no que se refere ao marketing digital e às campanhas de mídia paga. 

Essa estratégia aprimora a eficiência dos anúncios e contribui para um aumento substancial nas taxas de conversão. 

A seguir, exploramos os principais benefícios do lookalike e ilustramos com exemplos práticos. Confira:

Aumento da relevância dos anúncios

As estratégias de lookalike garantem anúncios mais relevantes para o público-alvo e aumentam as chances de engajamento e conversão.

Exemplo: uma empresa de vestuário esportivo utiliza sua base de clientes mais fiéis para criar um Lookalike Audience. 

Os anúncios direcionados a esse novo público apresentam alta relevância, refletindo preferências e comportamentos semelhantes, resultando em um aumento de 20% na taxa de cliques (CTR).

Melhoria da segmentação do público

A segmentação refinada permite que as empresas alcancem grupos específicos de potenciais clientes que são mais propensos a se interessar por seus produtos ou serviços.

Exemplo: um aplicativo fitness foca em usuários que interagiram com conteúdo relacionado à saúde e bem-estar no último mês para criar seu Lookalike Audience.

Isso resultará em uma segmentação que alcança entusiastas do universo fitness provavelmente interessados em seu produto.

Aumento das taxas de conversão

Direcionar esforços de publicidade para públicos mais propensos ao interesse e à ação pode significativamente elevar as conversões.

Exemplo: uma loja online de decoração de casa observou um aumento de 30% em suas conversões ao direcionar anúncios para um Lookalike Audience baseado em clientes anteriores que realizaram compras de alto valor.

Otimização do Retorno Sobre Investimento (ROI)

A eficiência aprimorada na segmentação e a relevância aumentada dos anúncios levam a um uso mais eficiente do orçamento de publicidade.

Exemplo: uma pequena empresa de software conseguiu reduzir os seus custos por aquisição em 25% ao utilizar um Lookalike Audience para direcionar anúncios somente a usuários com alta probabilidade de interesse em seus produtos, maximizando assim o seu ROI.

Expansão de alcance de forma estratégica

Os algoritmos de looklike possibilitam que as empresas expandam o alcance para além de seus clientes existentes ou seguidores das redes sociais, encontrando novos públicos qualificados.

Exemplo: uma marca de cosméticos veganos usa lookalike para alcançar consumidores potenciais em novos mercados geográficos, baseando-se nas características de seus clientes atuais, levando a um crescimento significativo em novas regiões.

Todos os benefícios listados demonstram como o Lookalike Audience pode ser uma ferramenta poderosa para negócios de todos os tamanhos, otimizando campanhas de mídia paga para alcançar melhores resultados, maior eficiência e um crescimento sustentável.

Quais são as melhores práticas de lookalike?

Para maximizar o potencial das campanhas lookalike e impulsionar os resultados de negócios, é importante adotar uma abordagem estratégica e seguir as melhores práticas. 

Abaixo, listamos algumas dicas práticas e diretrizes para utilizar eficazmente o lookalike. Observe:

Definição de objetivos claros

Antes de criar um público lookalike, defina objetivos claros e mensuráveis para suas campanhas. 

Pergunte-se: o que desejo alcançar? Isso pode variar desde aumentar as vendas, melhorar o reconhecimento da marca, expandir para novos mercados ou aumentar a base de clientes. 

Estabelecer objetivos claros ajuda a direcionar suas estratégias de lookalike e a medir o sucesso das campanhas.

Seleção cuidadosa da fonte de audiência

A qualidade do seu público lookalike depende diretamente da fonte de audiência utilizada para criá-lo. 

Escolha uma fonte que represente seus clientes ideais, seja uma lista de e-mails de clientes de alto valor, usuários que concluíram uma compra recentemente, ou aqueles que interagiram com seu conteúdo nas redes sociais. 

Certifique-se de que a fonte de audiência é grande o suficiente para permitir uma análise significativa, mas suficientemente qualificada para garantir relevância.

Análise dos dados corretos

Utilize dados e insights disponíveis para refinar sua estratégia de lookalike. Analise as características demográficas, interesses, comportamento de compra e engajamento online de sua audiência base. 

Essa análise detalhada permite que você ajuste seus critérios de segmentação para melhor alinhar suas campanhas com os interesses e necessidades de seu público-alvo.

Acompanhamento regular do desempenho

Monitore o desempenho de suas campanhas de lookalike regularmente para avaliar se estão atingindo os objetivos estabelecidos. 

Utilize métricas como taxa de conversão, custo por aquisição, retorno sobre o investimento (ROI), engajamento e alcance. 

O acompanhamento contínuo permite identificar áreas de sucesso e aspectos que precisam de ajustes.

Testes e otimizações contínuas

Não há uma fórmula única para o sucesso com o lookalike. Sendo assim, é essencial testar diferentes fontes de audiência, tamanhos de público e mensagens de anúncio. 

É importante que você realize testes A/B para comparar o desempenho e identificar as configurações mais eficazes, por exemplo. 

Use os resultados para otimizar continuamente as suas campanhas, refinando sua segmentação e aprimorando as suas estratégias de comunicação e as suas técnicas de marketing.

Integrar com outras estratégias de marketing

Para maximizar a eficácia, integre sua abordagem de lookalike com outras estratégias de marketing digital, como marketing de conteúdo, SEO e e-mail marketing.

Uma abordagem holística garante que você esteja não apenas alcançando novos públicos, mas também engajando-os de forma eficaz através de múltiplos canais.

Adotando essas práticas, você pode utilizar o lookalike de maneira mais eficiente, alavancando o poder dos dados e da tecnologia para atingir públicos altamente relevantes.

Também é possível melhorar o desempenho de suas campanhas e, em última análise, impulsionar o crescimento do seu negócio.

Quais desafios devem ser considerados ao usar o lookalike e como superá-los?

Embora as estratégias de lookalike ofereçam uma oportunidade significativa para alcançar públicos novos e relevantes, elas também apresentam algumas limitações que os profissionais de marketing devem considerar. 

Na sequência, conheça os desafios do lookalike e como superá-los.

Dependência de dados de alta qualidade

A eficácia do lookalike depende da qualidade e da relevância dos dados da audiência fonte. 

Se a base de dados não for representativa ou estiver desatualizada, isso pode levar a segmentações imprecisas e a um desempenho abaixo do esperado das campanhas.

Por isso, mantenha a sua base de dados atualizada e representativa, utilizando informações recentes e relevantes dos usuários.

Restrições de privacidade e uso de dados

Mudanças nas leis de privacidade e nas políticas de plataformas, como a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), restringem a coleta e o uso de dados pessoais. 

Isso pode limitar a quantidade de dados disponíveis para criar públicos lookalike precisos e relevantes.

A nossa dica é que sua empresa esteja sempre informada sobre as regulamentações de privacidade e ajuste as suas práticas para estar em conformidade, focando na transparência e no consentimento dos usuários.

Complexidade na segmentação

Identificar e segmentar efetivamente o público ideal requer uma compreensão profunda do seu mercado e dos seus clientes. 

Por conta disso, profissionais de marketing menos experientes podem encontrar dificuldades para navegar nas complexidades de ajustar o tamanho e a especificidade do público lookalike para otimizar o desempenho.

Aqui indicamos que você experimente diferentes fontes de audiência e tamanhos de público, utilizando testes A/B para otimizar o equilíbrio entre alcance e relevância.

Resultados variáveis

Assim como outras estratégias de marketing digital, o Lookalike Audience não garante resultados. 

O desempenho pode variar significativamente de acordo com a indústria, o produto, o público-alvo e outros fatores externos, como a sazonalidade e as tendências de mercado.

Então, monitorize regularmente o desempenho das campanhas, ajustando a estratégia com base em dados analíticos e feedback do mercado.

Além disso, contar com um parceiro especialista faz toda a diferença ao implementar uma estratégia de lookalike. 
A Adtail conta com uma equipe especializada nesse tipo de ação e que pode ajudar a implementá-la no seu negócio. Fale conosco!

O Inbound Marketing representa uma mudança significativa na maneira como as empresas se conectam com os seus leads. 

Diferentemente da publicidade tradicional, que frequentemente interrompe a experiência do usuário – como os comerciais que interrompem nosso programa de TV favorito –, o Inbound Marketing adota uma abordagem mais sutil e orgânica. 

Este artigo explorará como o Inbound Marketing cria conteúdo relevante e valioso, projetado para atrair clientes potenciais em vez de impor mensagens publicitárias. Que tal entender mais sobre como tudo isso funciona? Contaremos, a seguir!

Inbound Marketing: saiba o que é e quais são as principais estratégias

Inbound Marketing é uma abordagem moderna de Marketing Digital focada em atrair clientes por meio de técnicas que oferecem valor e estabelecem conexões genuínas. 

Diferente do marketing tradicional, que muitas vezes busca a atenção do consumidor chegando até ele, o Inbound Marketing atrai o público-alvo criando experiências positivas e soluções personalizadas.

Uma das estratégias mais recorrentes no Inbound Marketing é a otimização para motores de busca (SEO). Tal ação envolve aprimorar o conteúdo online para melhorar a sua visibilidade e o ranking nas páginas de resultados do Google e demais buscadores.

Além disso, o uso de mídias sociais, como Instagram, Facebook, Tik Tok, entre outras, é essencial para interagir com o público, compartilhar informações valiosas e construir comunidades em torno da marca.

Outra tática importante é o e-mail marketing personalizado, que envolve enviar conteúdo e ofertas relevantes para um público segmentado, melhorando a taxa de engajamento e conversão. 

Além disso, a estratégia de automação de marketing permite o acompanhamento e nutrição de leads através de um processo automatizado. Isso garante que eles se mantenham engajados e interessados.

Finalmente, o Marketing de Conteúdo é um pilar tão fundamental do Inbound Marketing que merece um tópico dedicado exclusivamente a ele. Veja, a seguir!

Marketing de Conteúdo: o principal pilar do Inbound Marketing

O Marketing de Conteúdo é, indiscutivelmente, a base central do Inbound Marketing, sendo essencial para a atração e a conversão de leads em clientes fiéis. Essa estratégia se baseia na criação e distribuição de conteúdos relevantes, interessantes e de alta qualidade, com o objetivo de estabelecer uma conexão sólida e significativa com o público.

A eficácia do Marketing de Conteúdo reside na sua habilidade de atrair a atenção do público de maneira orgânica, oferecendo-lhes informações valiosas que respondem às suas dúvidas e necessidades. Tal abordagem é essencial para construir confiança e autoridade, elementos-chave para transformar visitantes em clientes leais.

É importante destacar que o Marketing de Conteúdo transcende os limites do texto escrito. Ele abrange uma variedade de formatos, incluindo vídeos, podcasts, infográficos e webinars, permitindo uma maior flexibilidade na forma de comunicar e engajar diferentes segmentos de público.

David Beebe, um especialista reconhecido na área, declarou que: “O Marketing de Conteúdo é como um primeiro encontro. Se tudo o que você faz é falar sobre si mesmo, não haverá um segundo encontro.” 

Essa frase capta a importância de criar conteúdo que seja centrado no público, não na marca. Ao focar nas necessidades e interesses do público, o Marketing de Conteúdo não só capta a atenção, mas também fomenta relacionamentos duradouros e significativos.

pessoa utilizando um laptop para ler conteúdos em blog
Close-up image of female hand writing on laptot

Estratégias com conteúdo no Inbound Marketing

Como vimos, as estratégias de conteúdo são fundamentais para engajar e converter o público. Sendo assim, cada tática do Inbound deve ser meticulosamente desenhada!

Somente dessa maneira será possível se alinhar com a persona da marca e a jornada do cliente, desde o reconhecimento da necessidade até a decisão de compra. 

A seguir, veja algumas das principais estratégias com conteúdo que podem ser exploradas:

Criação de conteúdo personalizado para a persona

A criação de conteúdos que ressoam com a persona do cliente é essencial. Isso envolve entender suas características, dores, desejos e comportamentos. 

Com esse conhecimento, o conteúdo pode ser moldado para se conectar de forma mais eficaz com o público-alvo.

Foco na intenção de busca

Entender a intenção por trás das buscas online do público-alvo permite criar conteúdos que não apenas respondam às suas perguntas, mas também os guiem suavemente através do funil de vendas.

Por isso, é importante que seja realizado um trabalho cíclico de monitoramento de palavras-chave, usando ferramentas apropriadas. Ficar de olho nos assuntos quentes do setor, é claro, também se faz necessário.

Ações para diferentes estágios do funil

No Inbound Marketing se trabalha com o chamado funil de vendas. Nesse formato, cada etapa exige diferentes ações a serem tomadas. Veja:

Produção de conteúdos em diferentes formatos

De acordo com o perfil da persona do seu negócio, há formatos de conteúdos mais ou menos interessantes de serem adotados. De maneira geral, os blogposts e os artigos são uma estratégia eficaz em todas as etapas do funil, fornecendo informações valiosas e melhorando a SEO.

Já os vídeos e os podcasts são excelentes para criar um envolvimento mais profundo, especialmente úteis para demonstrar produtos ou discutir tópicos complexos de forma acessível.

Outra ideia interessante é a produção de conteúdos interativos, como quizzes, calculadoras e ferramentas interativas. Esse tipo de material melhora o engajamento e fornece valor prático para o usuário.

Adtail: a sua parceira pra conquistar alcance digital e identidade da marca

As estratégias de conteúdo no Inbound Marketing devem ser diversificadas, centradas no cliente e alinhadas com cada etapa da jornada do consumidor. Para que isso seja feito, ter um parceiro estratégico e experiente é essencial.
A Adtail tem uma equipe muito competente, com os melhores profissionais para desenvolver o Inbound Marketing na sua empresa. Somos uma agência de Marketing Digital focada em alta performance digital para levar os melhores resultados para os nossos clientes. Fale com a gente!

A Biblioteca de Anúncios do Facebook é uma ferramenta poderosa que revolucionou a forma como as empresas gerenciam as suas campanhas de publicidade nas redes sociais. 

Para e-commerces, a plataforma se tornou um ativo inestimável, oferecendo insights valiosos e a capacidade de “espiar” a concorrência de maneira eficaz. 

Aqui na Adtail, temos uma equipe especializada em tráfego pago e estratégias de mídia no Facebook e demais redes sociais. 

Atendemos vários clientes no segmento de e-commerce. Sendo assim, reunimos conceitos, dicas e estratégias trabalhadas internamente para ajudar você a impulsionar o seu comércio eletrônico. Veja tudo a seguir!

O que é a Biblioteca de Anúncios do Facebook?

A Biblioteca de Anúncios é uma ferramenta da Meta que possibilita a pesquisa de anúncios veiculados em suas plataformas, como o Facebook e o Instagram. 

Também conhecida como Ad Library, ela foi criada com o objetivo de aumentar a transparência. Isso porque torna as informações sobre anúncios acessíveis mesmo para pessoas que não estejam logadas nas redes sociais. 

Na Biblioteca, os usuários podem obter dados como a quantidade de anúncios de uma página, os conteúdos, as imagens e as datas de início das campanhas. 

No entanto, informações mais específicas, como o orçamento e a segmentação do público-alvo, não são fornecidas. 

Com mais de 2,9 bilhões de contas no Facebook e 2 bilhões no Instagram (1) essa ferramenta é muito útil na vigilância da publicidade online. Mais do que isso, é uma verdadeira aliada em ações de inteligência competitiva dos negócios.

Por que a Biblioteca de Anúncios é importante para o e-commerce?

Os gestores de e-commerces devem dedicar atenção à Biblioteca de Anúncios devido à sua capacidade de fornecer insights sobre a concorrência e tendências de mercado. 

Em um cenário em que a atenção dos consumidores é altamente disputada nas redes sociais, conhecer as estratégias dos concorrentes é um grande diferencial competitivo. 

A partir das informações disponibilizadas na Biblioteca, pode-se realizar análises mais profundas das táticas de marketing utilizadas pelos concorrentes. 

Assim, o seu negócio poderá se “defender” e estar sempre um passo à frente, principalmente no que se refere à conversão e performance;

Como usar a Biblioteca de Anúncios para insights?

Usar a Biblioteca de Anúncios do Facebook é uma tarefa bastante simples. Preparamos um passo a passo para te auxiliar nesse momento. Observe:

  1. Acesse o site: vá para a página oficial da Biblioteca de Anúncios do Facebook e comece selecionando país no qual os anúncios desejados foram veiculados;
  2. Escolha a categoria: opte entre as duas categorias disponíveis: “Todos os anúncios” ou “Temas, eleições ou política”. Se estiver interessado em anúncios empresariais, selecione a primeira opção;
  3. Inicie a pesquisa: no campo de pesquisa, digite o nome da empresa que você deseja analisar. À medida que você digita, a ferramenta permite a escolha de uma página específica associada à empresa;
  4. Visualize os anúncios: clique na página desejada para visualizar os anúncios vinculados a ela. Se preferir ver resultados gerais para a palavra-chave, clique no ícone de lupa;
  5. Analise os resultados: na página de resultados, você verá detalhes de cada anúncio, incluindo texto, links, imagens, data de início da veiculação e as plataformas em que foram exibidos. Você pode clicar em “Ver detalhes do anúncio” para acessar diferentes versões da mídia paga, o que é útil para avaliar as mudanças nas estratégias ao longo do tempo.
tela de login do Facebook

Estratégias de mídia paga que fizeram a diferença para os nossos clientes

A Novo Mundo, cliente da Adtail, conquistou um notável aumento no ROI de 350% no Facebook após implementar ações estratégicas, como análises na Biblioteca de Anúncios.

Inicialmente, a empresa havia interrompido suas atividades na plataforma devido a resultados insatisfatórios. 

No entanto, uma análise detalhada revelou o potencial de conversão nas redes sociais, desmentindo a crença de que elas servem apenas para o engajamento, não para conversão.

A nossa equipe adotou uma abordagem data-driven para otimizar a estratégia. Isso incluiu uma revisão completa das tags e a implementação de campanhas de remarketing dinâmico.

Anúncios para um público novo, focando em produtos de ticket médio mais elevado, também foram introduzidos. (2)

Dicas avançadas e melhores práticas

Para aprimorar a análise de anúncios na Biblioteca do Facebook e otimizar campanhas de e-commerce, nossa equipe utiliza algumas estratégias avançadas. 

Vamos compartilhar um pouco do nosso segredo com você. Veja:

Aprofunde-se na segmentação de público-alvo

Explore a segmentação de anúncios de concorrentes na Biblioteca de Anúncios. Isso pode revelar informações valiosas sobre os grupos demográficos, interesses e comportamentos que eles estão direcionando. 

Use essas informações para afinar sua própria segmentação de público-alvo, identificando nichos pouco explorados e oportunidades de alcance mais eficaz. 

Além disso, considere a criação de personas de compradores com base nas descobertas da Biblioteca de Anúncios para direcionar estrategicamente seus anúncios, de acordo com o comportamento do usuário.

Analise as mensagens e ofertas de concorrentes

Analisar as mensagens e ofertas utilizadas por concorrentes pode inspirar a criação de conteúdo mais envolvente e estratégias de preços competitivas. 

Observe o tom da comunicação, os gatilhos emocionais e os incentivos oferecidos. 

Também identifique lacunas e oportunidades em relação às mensagens e às ofertas dos concorrentes, adaptando sua abordagem para se destacar.

Acompanhe as mudanças ao longo do tempo

A Biblioteca de Anúncios permite acompanhar as mudanças nas campanhas de seus concorrentes ao longo do tempo. 

Isso é fundamental para entender como eles ajustam as  estratégias em resposta a eventos sazonais, tendências do mercado ou concorrência. 

Monitore regularmente para identificar padrões, como quais meses têm mais anúncios promocionais e quais tipos de conteúdo são consistentes em suas campanhas. 

Use essas informações para planejar suas próprias estratégias sazonais e manter sua presença competitiva no mercado.

Adtail: especialistas em estratégias de mídia no Facebook

A experiência da Adtail em desbloquear o potencial da Biblioteca de Anúncios tem se destacado nas campanhas ativas de diversos clientes.

Ao escolher parceiros como a Adtail, você se beneficia do conhecimento especializado que pode transformar a sua presença online e os seus resultados financeiros. 

Sabemos que desbravar a Biblioteca de Anúncios do Facebook é algo desafiador. Porém, estamos aqui para ajudar o seu e-commerce a se desenvolver, aumentar as vendas e lucrar cada vez mais. 
Que tal bater um papo com alguém do nosso time? Estamos à disposição!

Se você não conhece a Jornada de Compra de seus clientes, está perdendo muitas possibilidades de vendas! Descubra como usá-la a favor de seu negócio!

Por que é importante conhecer a Jornada de Compra? 

Antes de responder a essa pergunta, vamos entender o que é a Jornada de Compra. Ela se refere ao processo que um consumidor passa até chegar ao momento em que decide fechar uma compra.

Ela se apresenta em 4 etapas: aprendizado e descoberta, reconhecimento do problema, consideração da decisão e decisão de compra.

Assim, a Jornada de Compra mostra como os consumidores podem se sentir atraídos por sua marca e quais são as suas necessidades para seguir para a finalização de uma compra.

Nesse sentido, a Jornada de Compra é fundamental para traçar estratégias que levem a melhores resultados de conversão em vendas. 

É essencial que você saiba que acompanhar a Jornada de Compra não é um ato simples. As ações envolvem entender as métricas mais adequadas para cada setor a fim de obter dados que revelem qual é a etapa dos visitantes de seu site. 

Abaixo, veja o que são essas 4 etapas da Jornada de Compra.

1. Aprendizado e descoberta

O aprendizado e descoberta é a fase em que o consumidor ainda não sabe que tem um problema que pode ser solucionado com o seu produto ou serviço. Assim, seu negócio precisa despertar o interesse do consumidor de modo que o desperte para o problema que enfrenta.

2. Reconhecimento do problema

A segunda fase é a do reconhecimento do problema, quando o consumidor entende que tem um problema e se interessa em pesquisar sobre ele e suas possíveis soluções.

3. Consideração de decisão

Depois, a Jornada de Compra apresenta a fase de consideração da decisão, em que o consumidor já entendeu bem o seu problema e já entende quais são as possíveis oportunidades de solução

4. Decisão da compra

Por último, a decisão da compra acontece quando o consumidor já sabe qual é a melhor opção para ele dentro de um mercado competitivo e está pronto para realizar a compra. 

Nesta fase, seu negócio precisa mostrar os diferenciais. 

Jornada de Compra: por que organizar seu Funil de Vendas?

O Funil de Vendas é um modelo que mostra como acontece a jornada do cliente em direção à compra. Ou seja, mostra as etapas e gatilhos necessários para ocorrer a conversão. 

É o Funil de Vendas que dá suporte à Jornada de Compra, pois está ligado às suas fases.

O modelo leva esse nome porque entende que há um número maior de consumidores no topo do que no fundo, que se refere à decisão de compra. Entenda melhor a seguir.

No Topo de Funil, estão os visitantes que descobrem que tem um problema. Eles estão conscientes que precisam solucioná-lo, então é preciso que seu negócio os eduque com conteúdos ricos, como eBooks. Esse é o momento de trocar conteúdos por dados dos visitantes, que preenchem um formulário.

No Meio do Funil, temos os leads, ou seja, pessoas que forneceram as suas informações, como nome e e-mail, para o banco de dados de sua empresa. Elas consideram resolver o seu problema, mas não sabem muito bem como. 

Nesse sentido, sua marca precisa fornecer informações mais específicas com dicas e materiais que as levem a ir para a próxima e última fase.

No Fundo do Funil, estão os leads que, além de estarem cientes de seu problema, buscam por soluções de forma mais efetiva. Essa é a hora da abordagem da equipe de vendas.

Aliás, tratar de Funil de Vendas é manter as equipes de Marketing e Vendas alinhadas na previsão de ações e estratégias. Afinal, o objetivo do Funil é acompanhar os clientes do conhecimento da marca até a decisão de compra. 

Dicas para organizar o seu funil de vendas para a Jornada de Compra

Na hora de usar o funil de vendas junto à Jornada de Compras, organize-se seguindo as dicas abaixo. 

1. Alinhamento de Processos

As estratégias de vendas devem seguir as necessidades de cada etapa do funil de vendas para que o visitante tenha propósito ao caminhar para a próxima fase do funil. Em outras palavras, é preciso entender o que é cada etapa em seu setor para que as abordagens estejam adequadas.

Por exemplo, é importante usar o tom de voz do visitante para que ele compreenda as soluções e se sinta próximo da marca. 

2. Definição das etapas de funil 

Quais são os marcos que fazem um visitante sair de uma etapa a outra? O que configura cada etapa do seu funil de vendas? Quais são as necessidades dos visitantes em cada uma delas?

Ao responder a perguntas como essas, você conseguirá definir as fases de seu funil com informações relevantes que o levam ao próximo passo. 

3. Criação de um plano de ação

Após saber quais são as etapas da Jornada de Compra e do Funil de Vendas, é hora de definir ações únicas de seu negócio para cada uma delas. 

Isso significa que você deve escolher os gatilhos que fazem sentido para os visitantes e usar estratégias que os façam se movimentar em direção à conversão.

Isso inclui criar prazos para persistir com os clientes e influenciá-los nas etapas do funil de forma que o leve rapidamente à próxima fase. 

4. Setorização de atendimento

Já explicamos que o Funil de Vendas mostra as necessidades específicas dos visitantes em cada etapa. Isso quer dizer que o atendimento também deve contar com particularidades para atendê-los.

A setorização de atendimento ajuda a fluir o trabalho e agiliza o processo de conversão em compras. 

Aqui, é fundamental acompanhar a jornada dos clientes para garantir a sua satisfação e sanar deficiências do processo  

5. Definição de metas

Trabalhar sem metas é como caminhar no escuro: você não sabe onde está e nem aonde pode chegar. Dessa forma, crie objetivos mensuráveis que direcionam a equipe de Marketing e Vendas e que torne possível a comparação entre resultados alcançados e metas iniciais. 

Entendeu o que é Jornada de Compra? Ela impacta diretamente nos resultados de seu negócio e o ajuda na criação de estratégias que vendem mais. Para colocar as ações em jogo, o melhor é contar com um time de experts que entende tudo sobre funil de vendas.

Esse time está na Adtail, uma agência de marketing digital que entende o seu negócio e trabalha para garantir as suas metas. 

Visite o nosso site e conheça as possibilidades de trabalho com a Jornada de Compra!

Um negócio sem canais de mídia tende a se perder em meio a concorrência. Mas não é só deles que a sua marca sobrevive. Veja como aproveitar outras estratégias para conseguir mais visitantes em seu site!

O que são canais de mídia? 

Antes de tudo, é importante entender o que é “mídia”. Ela se refere a todo o suporte tecnológico usado para transmitir conteúdos variados. Dessa forma, canais de mídia, no marketing, são espaços para o contato entre uma marca e seus consumidores. 

Na prática, os canais de mídia surgem quando a marca, que é emissora, tem uma mensagem com um determinado objetivo para o interlocutor, ou seja, o consumidor.

Atualmente, a evolução tecnológica permite a existência de diversos canais de mídia digitais com regras de uso específicas e focadas em públicos determinados. Nesse sentido, a presença efetiva do e-commerce nesses espaços passa por muito planejamento e uso de estratégias que levem a conversões de compra e fidelização de clientes. 

Para atingir seus objetivos, as plataformas de mídia oferecem serviços de mídia paga que buscam fazer a marca ser conhecida por mais consumidores. Entre elas, estão:

Como o trabalho com as mídias envolve diversos aspectos que vão do planejamento de estratégias à gestão dos canais, as empresas costumam contratar profissionais ou agências de social media.

Até que ponto podemos depender dos canais de mídia?

Certamente, a presença digital é fundamental para os negócios que desejam manter lucratividade no mercado. Afinal, o mundo se torna cada vez mais tecnológico e as pessoas mais presentes em espaços como plataformas de redes sociais, que são canais de mídia.

Segundo dados da Statista, o Brasil é o 5º país do mundo com mais usuários conectados em mídias sociais. Isso faz do país um excelente lugar para estratégias que buscam conseguir e manter consumidores. 

Assim, é preciso, sim, trabalhar a comunicação com o público-alvo nos canais de mídia digital para aproximá-lo da marca e engajá-lo com as ações. Além disso, os canais de mídia permitem:

No entanto, a dependência completa desses canais não é indicada, pois ela traz insegurança para o seu negócio, que contará apenas com uma estratégia de divulgação da imagem em meio à alta concorrência.

Na verdade, existem várias outras formas de estar presente na rede e ainda se destacar. É importante observar o comportamento de sua persona para saber o que pode ser feito para também atrair consumidores fora dos canais de mídia. 

Veja 4 opções para atrair visitantes 

Para ajudar o seu e-commerce a reduzir a dependência de canais de mídia, listamos 4 formas que ajudam no bom posicionamento da marca. 

Confira!

1. Trabalho em SEO

O SEO (Search Engine Optimization) é o trabalho em páginas da Web para que elas se posicionem nos primeiros lugares dos sites de busca, como o Google. O objetivo é conseguir atrair visitantes de forma orgânica, ou seja, sem ter que pagar anúncios.

O Google e outros sites de busca posicionam os melhores resultados na primeira página para que o usuário tenha sucesso e encontre com agilidade o que procura. 

Para ser destaque, é preciso usar um conjunto de técnicas. Entre as mais básicas e aplicadas por negócios digitais estão:

2. Produção de conteúdo em blog

Os blogs, como este que você lê, são excelentes ferramentas para tocar na dor dos consumidores. A ideia é veicular conteúdos informativos, que solucionem os problemas dos usuários e posicione a sua marca como uma autoridade no nicho em que atua. 

Ao perceber que sua marca tem as respostas que precisa e oferece serviços e produtos úteis, a conversão em compras acontecerá.

3. E-mail marketing através de Inbound

O e-mail, apesar de já existir há muito tempo, é ainda muito eficiente para alcançar resultados de conversão. Contudo, para isso, é preciso um planejamento que deve estar embasado nas estratégias de Inbound Marketing.

Aqui, o objetivo é atrair, converter e encantar os clientes. Dessa forma, o funil de vendas mostra em que estágio da compra o consumidor se encontra para que os profissionais de marketing saibam o que é preciso ser feito para eles chegarem à conversão final.

Esse funil é composto por 3 fases:

Repare que, para cada fase, há necessidades específicas.  Por isso, o uso do e-mail marketing precisa estar voltado para diferentes objetivos e ter um banco de contatos segmentado. É sobre isso que falaremos agora.

4. Base de CRM

A Base de CRM (Customer Relationship Management) gerencia todos os contatos para que as oportunidades de venda sejam potencializadas. Ou seja, no mesmo sentido do e-mail marketing através do Inbound, a base de contatos favorece seu negócio para ele entender os consumidores e saber lidar com eles.

Após colher os dados dos consumidores, como o seu histórico, é possível saber em qual fase do funil eles estão e criar ações que farão sentido para eles.

Vá além dos canais de mídia com a Adtail

É verdade que os canais de mídia são essenciais para gerar leads e conversões. Mas, como você percebeu, existem outras formas de chamar a atenção do seu público-alvo.

É por isso que a Adtail existe. Com as soluções de nossa agência de marketing digital, você alavanca os resultados de seu negócio digital de diversas maneiras, além das estratégias nos canais de mídia.

Entre nossos serviços, estão:

Visite o nosso site e conheça a Adtail. Você vai se surpreender com a expertise da agência para atrair visitantes para as páginas de sua marca!

Você entende bem o papel dos leads no crescimento do seu negócio? Continue a leitura e descubra!

O que são leads?

Leads são clientes em potencial por demonstrarem interesse no produto ou serviço de uma marca. Por isso, eles se enquadram no perfil de consumidores de um negócio. 

Na prática, eles já deixaram seus dados, como e-mail e nome, com a marca em troca de alguma recompensa. Assim, a empresa sabe quem são eles e que precisa criar estratégias para eles se tornarem clientes.

O que é Funil de Vendas?

O Funil de Vendas é uma forma de representar a jornada do cliente em direção à compra. Ou seja, é um modelo estratégico que mostra o primeiro contato de um lead com uma marca até o momento em que decide adquirir um produto ou serviço se tornando, assim, um cliente.

Ele é dividido em 3 etapas que traduzem esses momentos. São eles:

  1. Topo;
  2. Meio;
  3. Fundo;

Dessa forma, o modelo tem o termo “funil” em seu nome pois coloca a maioria dos visitantes no topo e uma minoria no fundo. Isso porque nem todos os leads chegam ao momento de decisão final para se tornar um cliente.

Com o Funil de Vendas, seu negócio entende onde estão os clientes em potencial para criar estratégias que os façam se movimentar no funil até chegar ao seu fundo, ou seja, a etapa de decisão da compra. 

Por que aumentar seus Leads? 

Tudo que o e-commerce precisa é de vendas, não é mesmo? Então, aumentar os leads significa também aumentar as chances de adquirir novos clientes e mantê-los.

O funil de vendas permite entender em que fase o lead está a partir de várias de suas ações. Nesse sentido, vale utilizar o lead scoring, que qualifica os clientes em potencial a partir de métricas que calculam o nível de engajamento. 

Só para ilustrar, imagine que um lead clicou em um link recebido por e-mail. Assim, ele ganha 2 pontos em seu scoring. Depois, ele baixa uma planilha que sua marca oferece gratuitamente e ganha mais 4 pontos.

Dessa forma, o lead scoring indica que o lead está mais próximo da compra e que ações precisam ser tomadas para ele se tornar um cliente.  

Perceba que, assim, há novas classificações que trazem as seguintes vantagens:

Principais passos para aumentar seus leads 

Para gerar mais leads para o seu negócio, você deve seguir algumas práticas. Nós separamos as principais. Veja quais são a seguir!

1. Entenda a sua persona

Antes de tudo, você precisa conhecer e criar a sua persona. Ela é a representação fictícia do cliente ideal com características e comportamentos específicos. Por exemplo, a persona de uma marca de sapatos pode começar assim:

Maria Clara, 35 anos, é casada, designer e tem 1 filho. Ela não tem muito tempo livre, mas gosta de viajar com a família e ir ao shopping com as amigas. 

O objetivo de criar uma persona é entender as peculiaridades do público que a marca deseja atender. Desse modo, sua equipe de marketing terá insumos para saber como atrair novos leads usando os gatilhos mentais corretos e a linguagem mais adequada.

Há diversas maneiras para criar uma persona através de pesquisa e análise. Por exemplo:

2. Crie conteúdos relevantes 

Após criar a persona, você conhecerá o público-alvo para saber quais são as suas dores. Aproveite para criar conteúdos que farão as pessoas se interessar por eles. Para isso, responda às dúvidas em posts de redes sociais e em artigos de blogs para transformar visitantes em leads. 

Dessa maneira, você também traz credibilidade para a sua marca, que se posiciona como autoridade de seu nicho.

3. Aposte em materiais ricos

Ainda no sentido de criar conteúdo relevante, aposte em materiais ricos que vão além do básico e trazem mais informação para o lead em relação às suas dores e às formas que sua marca soluciona seus problemas. 

Em resumo, materiais ricos são conteúdos que tratam de questões com profundidade. Eles surgem em diversos formatos, como:

Aqui, o importante é atrair leads e conseguir seus dados em troca do download. Mais uma vez, você pode trabalhar o lead scoring e segmentar a sua base de leads para estratégias específicas.

4. Crie uma boa oferta e a promova

As landing pages são páginas criadas para promover uma oferta única. Ela precisa ser construída com muito cuidado para atrair os leads e fazê-los chegar ao objetivo de conversão. 

Portanto, as landing pages precisam estar focadas em um único direcionamento: o de promover um produto ou serviço. Para criar uma, observe os seguintes fatores:

5. Use Call to Action

As Call to Action, ou CTA, são chamadas que estimulam o visitante a tomar uma ação. Elas precisam ser usadas nas landing pages e em todos os ambientes que buscam alguma conversão. 

Elas precisam ser breves e levar o lead a outra etapa do funil de vendas. Veja alguns exemplos:

6. Invista em diversos pontos de captação

Aproveite os diversos ambientes digitais para captar novos leads. Você pode, por exemplo, oferecer formulários para os leads fornecerem seus dados em landing pages. Nas páginas secundárias, use pop-ups sem exagerar.

7. Mensure os resultados

É fundamental entender se as estratégias funcionaram para a geração de leads e clientes. Assim, observe resultados a partir de perguntas, como:

Agora que você já sabe o que são leads e a importância que eles têm para o seu negócio, é hora de contar com uma equipe de experts que entende o seu negócio e o ajuda a crescer com novos clientes.

Esse time está na Adtail, uma agência de marketing digital com diversas soluções em estratégias, conteúdo e análise de dados. Visite o site e saiba mais!

Em um mundo de opções de métricas, você sabe quais são as mais importantes para o e-commerce? Continue a leitura e descubra!

Leia também: Como funciona o algoritmo do Google? Use os fatores de ranqueamento a seu favor

Métricas ou KPIs?

Antes de tudo, se você confunde métricas e KPI, saiba que não está sozinho. No marketing digital, esses termos são comumente usados como sinônimos, mas eles têm suas diferenças. Nós explicaremos agora quais são.

Primeiramente, as métricas são informações numéricas que mostram a ação do usuário em relação a alguma ação de marketing. Por exemplo, o número de visitantes no site é uma métrica. 

Já os KPIs, ou Indicadores-Chave de Desempenho, são ferramentas que usam métricas para indicar se uma ação atingiu o objetivo estabelecido por sua empresa. Dessa forma, os KPIs são interpretações que avaliam o desempenho de seu negócio.

Ou seja, os dois termos estão ligados. O KPI precisa das métricas para ser formulado e orientar as tomadas de decisão.

Por que estabelecer métricas? 

É verdade que as métricas são formas de conhecer e acompanhar o desempenho da sua loja virtual. Elas mostram o que está dando certo ou não nas ações que são desenvolvidas e ajudam a pensar em novas estratégias.

Assim, é de extrema importância que você saiba quais métricas deve usar para atingir os objetivos.

Uma empresa que não acompanha suas métricas tem diversas dificuldades para interpretar sua performance no mercado. Elas não têm dados que as ajudam a entender fatores essenciais, como:

Com que frequência devemos consultar as métricas e analisá-las?

Na verdade, cada métrica tem a sua particularidade para o acompanhamento. Algumas podem ser consultadas semanalmente, como a quantidade de visualizações.

No entanto, quem deve decidir é sua equipe de marketing. O melhor é que um ciclo de check-ins seja estabelecido para cada métrica ou um grupo delas. Ao verificar se os resultados apresentam o tempo hábil para atingir a métrica, você saberá se é o ciclo adequado de consulta e análise. 

Métricas que você deve acompanhar no seu e-commerce

Agora, você deve querer saber quais métricas deve usar no seu e-commerce, não é mesmo? Existem diversas métricas, mas algumas são fundamentais para esse tipo de negócio.

Por isso, separamos as 7 melhores para implementar e acompanhar no e-commerce. Confira a seguir.

1. Custo de Aquisição de Clientes (CAC) 

O CAC mostra o investimento médio das estratégias para conquistar um cliente. Ele é calculado da seguinte maneira: 

CAC = (investimentos em Marketing + investimento em Vendas) / número de novos clientes

Só para ilustrar, imagine que seu negócio investiu R$15 mil por mês e conseguiu 30 novos clientes. Assim, o seu CAC é de R$500.

2. Retorno sobre Investimento (ROI) 

Aqui, se calcula o valor ganho após os investimentos. Com o ROI, é possível saber quanto a empresa ganha ou perde com os investimentos em cada canal e quais são as campanhas que podem ser mantidas e quais devem ser otimizadas.

A fórmula do ROI é a seguinte:

ROI = (receita gerada – custos) / custos

3. Taxa de aprovação de pedidos

No e-commerce, um pedido realizado nem sempre significa a conclusão do mesmo. Isso porque é necessário que ele seja aprovado. A principais causas para a reprovação de um pedido são:

A taxa de aprovação de pedidos mostra quais vendas foram realmente concluídas. Ela pode ser calculada assim: 

Taxa de aprovação de pedidos = quantidade de vendas concluídas / quantidade de pedidos

Multiplicando o valor total por 100, você consegue o resultado final em porcentagem. 

4. Número de vendas

O número de vendas é uma das métricas mais simples. Ele mostra a relação entre  a quantidade de pedidos e as receitas geradas a partir deles

Com ele, é possível observar as sazonalidades e os períodos que o e-commerce tem melhores e piores performances. A partir desses números que mostram os hábitos dos consumidores, você entenderá quais são os momentos certos para promoções e descontos.

5. Número de carrinhos abandonados

O abandono de carrinho acontece quando o cliente escolhe seu produto, o coloca no carrinho mas, na hora de finalizar o pedido, desiste de efetuar a compra

Nesse sentido, o número de carrinhos abandonados ajuda a entender o comportamento dos consumidores no seu site. Essa métrica é específica dos e-commerces e é muito útil para definir condições de compra melhores e boa experiência para os clientes

6. Taxa de conversão

Seja por meio de mídia paga ou estratégias orgânicas, nem todos os usuários que visitam o seu site concluem uma compra. Por isso, existe a taxa de conversão, que demonstra a quantidade de pessoas que passaram de uma etapa do seu funil de vendas para outra.

A fórmula é a seguinte:

Taxa de conversão = (Conversões no período / total de contatos) 

Ao multiplicar o valor total por 100, você tem o resultado final em porcentagem.

7. Tráfego

Para entender o destaque de seu e-commerce na rede, é importante utilizar a taxa de tráfego. Ela mostra o volume de usuários que chega no seu e-commerce e, assim, revela se seu negócio tem conseguido atrair e converter os leads. 

Com o Google Analytics, você pode observar esse fluxo e ainda fazer comparações entre a performance em diversos períodos. Dessa maneira, será possível entender o que levou aos resultados encontrados e traçar novas ações de melhoria.

Transforme as métricas em resultados positivos para o negócio 

Para acompanhar as métricas de forma analítica e ainda otimizar suas ações, é importante contar com uma equipe que entenda do assunto e trabalhe de forma estratégica com os dados. 

Esse time está na Adtail, uma agência de marketing digital que busca a alta performance do seu negócio. Com a Adtail, seu negócio tem tomadas de decisão para a melhor experiência do cliente e performance de sua empresa.

Entre as várias de suas soluções que envolvem métricas, estão:

Visite o site para saber mais e conte com profissionais especializados em métricas agora mesmo!

Já ouviu falar da campanha PMax? Ela tem o propósito de fazer a sua marca ser veiculada em todos os canais do Google. Incrível, não é mesmo? Saiba mais sobre o assunto!

O que é Pmax? 

A campanha Performance Max, ou PMax, é um recurso do Google Ads que combina inteligência artificial e aprendizado de máquina para gerar mais receita aos anunciantes.

Na prática, seu negócio consegue anunciar em todas as redes do Google, o que inclui:

Ou seja, a partir de apenas uma campanha, é possível anunciar em todo o Google Ads. Com esse grande alcance, a campanha PMax tem o objetivo de conseguir mais conversões para o seu negócio. 

Nesse sentido, o recurso considera os objetivos de publicidade da campanha, as metas de conversão, o feed de dados opcionais e a segmentação de público-alvo. A ideia é alcançar os usuários corretos no momento mais adequado, conforme o seu funil de vendas.

Para anunciar em todo o ambiente do Google, a campanha PMax gera anúncios a partir de:

Esses fatores são feitos pela sua equipe de marketing e incluídos em um grupo de recursos. Eles são associados até chegarem a várias combinações adequadas para cada canal do Google. Por exemplo, para o YouTube, irão os anúncios em vídeo.

Mas não se preocupe! Você ainda tem muito controle de tudo! Felizmente, você pode pré-visualizar os anúncios e fazer os ajustes que achar necessário.

Por que utilizar PMax?

Com as rápidas mudanças no mercado e o aumento de canais disponibilizados para anúncios, é necessária uma análise muito bem segmentada para gerar as conversões. 

Com o Pmax, há o auxílio da automatização dos algoritmos do Google para direcionar os anúncios, o que facilita esse trabalho. Além disso, esse tipo de campanha oferece outras vantagens para sua marca e equipe de marketing.

Por exemplo, como a campanha usa o aprendizado de máquina, é possível fazer estimativas precisas sobre quais anúncios e combinações apresentarão melhores desempenhos.

Além disso, você consegue acessar relatórios de insights avançados. Isso é ótimo para otimizar os anúncios, definir novas estratégias e, claro, aumentar o ROI.

Quando usar a campanha Pmax? 

Primeiramente, é preciso se perguntar se a campanha Pmax é para o seu negócio. Afinal, ela só será útil se o seu público-alvo estiver na rede do Google. Ainda, caso ele esteja em apenas um canal, como o de pesquisa, pode ser mais vantajoso anunciar apenas nele.

Após entender que a campanha PMax é uma ótima ferramenta para vender seu produto ou serviço, existem outros fatores para considerar antes de pagar por ela. Veja quais são a seguir.

1. Definição de metas específicas 

Quando seu negócio tem objetivos bastante específicos, é mais fácil usar a campanha PMax. Aqui, estamos falando de metas como vendas online e geração de leads.

A partir desses números, você saberá que estratégias criar na campanha PMax, e poderá observar se as metas estão sendo alcançadas. Caso as metas estejam com uma performance negativa, haverá tempo para ajustes.

2. Necessidade de maximização

Se você quer alcançar um público maior, PMax é a melhor opção para sua empresa. No entanto, não se esqueça que isso envolve fatores além desse desejo de crescimento, como maior estoque disponível, mais pessoal no atendimento ao cliente e logística.

Considerando que a campanha PMax preza por um número maior de conversões, é importante estar preparado para esse momento. Ao contrário, os consumidores não terão uma boa experiência e, consequentemente, a credibilidade de sua marca sofrerá consequências negativas.

3. Busca por facilidades

Se os canais do Google são o melhor lugar para encontrar seus consumidores, você deve procurar por uma forma que otimize o tempo de criação e veiculação de campanhas.

Por isso, a campanha PMax será a melhor aliada para o seu negócio. 

4. Desejo por valor de conversão maior

Por certo, as estratégias de SEO e de palavras-chave são excelentes para atrair os usuários de forma gratuita e orgânica. Contudo, se você deseja potencializar os resultados rapidamente, a mídia paga é o melhor caminho.

Então, combine as estratégias de conversão orgânicas com as de tráfego pago.

Alcance mais consumidores com Pmax e Adtail

Apesar de todos os benefícios da automação das campanhas PMax, a presença humana continuará sendo essencial para a criação, veiculação e análise dos resultados de anúncios. 

A experiência nesse tipo de campanha faz com que profissionais que lidam com textos, imagens e vídeos, sejam criativos e originais em seu trabalho.

Além disso, o Google não sugere os objetivos da campanha. Isso quer dizer que a estratégia e as configurações do anúncio ainda precisam ser criadas por uma equipe de marketing.

Por isso, procure a Adtail na hora de começar as campanhas PMax. A Adtail é uma agência de marketing digital que conta com um time especializado em soluções em planejamento estratégico e mídia paga.Ficou curioso? Então, visite o nosso site para saber mais e veja como ampliar os resultados de conversão com a expertise da Adtail.

Ao trabalhar com Inbound Marketing, sua empresa aproveita os benefícios do funil de vendas. Se você não conhece essa estratégia, não se preocupe! Nós explicaremos para você!

O que é funil de vendas?

Normalmente, os consumidores realizam uma série de ações antes de decidirem fechar uma compra. Esse caminho, que envolve vários sentimentos por parte do consumidor e diversas estratégias de uma marca, pode ser visualizado na forma de um funil.

Assim, funil de vendas é um modelo que estrutura a jornada de compra de um cliente em potencial. Ele é dividido em 3 etapas, sendo: topo, meio e fundo de funil. 

Quais são as vantagens do funil de vendas?

A divisão em 3 etapas em formato de funil indica mais consumidores no topo do que no fundo. Isso porque o número de pessoas que decidem comprar é sempre menor do que o de pessoas que sentem a necessidade de um produto ou serviço. 

Dessa maneira, o funil de vendas segmenta o público para que as estratégias sejam pensadas de acordo com cada uma das etapas. Isso inclui benefícios como:

Como iniciar um funil de vendas? 

Antes de tudo, para iniciar um funil, é crucial alinhar as equipes de Marketing e Vendas. Cada uma dessas áreas deve ser responsável por sua etapa e não ignorar que seu trabalho está associado a uma jornada com consequências enquanto se afunila.  

Portanto, entenda como as 3 etapas funcionam a seguir.

1. Topo de funil

Também conhecido como ToFu (top of the funnel), o primeiro estágio é o momento em que os visitantes descobrem que têm um problema ou necessidade. 

Após entrarem em contato com a sua marca, o melhor que sua empresa tem a fazer é oferecer conteúdos ricos que eduquem o visitante, como:

Aqui, é importante não perder de vista o visitante. Nesse sentido, preze por uma troca: você oferece o conteúdo e o visitante fornece seus dados. Para isso, basta incluir um formulário como requisito para o download do material.

2. Meio de funil

O meio de funil, também conhecido como MoFu (middle of the funnel), é onde estão os leads, ou seja, os contatos que já enviaram seus dados por meio de formulários, chats, sites, etc.

Nessa fase, os leads consideram realizar a compra, mas ainda não estão prontos para isso. Assim, a ideia principal é amadurecê-los para darem o passo da decisão. 

Ofereça ajuda com novos conteúdos e mostre que tem a solução sem forçar o lead a fechar a compra.

3. Fundo de funil

A última etapa é o fundo de funil, ou BoFu (bottom of the funnel), quando os leads estão prontos para serem abordados pela equipe de vendas. Além de estarem cientes do problema, eles buscam a solução e têm inclinação a confiar em sua marca.

Então, basta mostrar como seu serviço é referência no mercado por ser o melhor. 

Após a compra, o lead se torna cliente e o funil de vendas é concluído. 

Passos para montar um funil de vendas 

Agora que você já entendeu quais são as etapas do funil de vendas, deve querer saber como montar o da sua empresa, não é mesmo?

Para isso, considere o nosso passo a passo que fará você refletir e achar respostas para a sua estratégia. 

Confira agora!

1. Conheça o seu público-alvo

No Inbound Marketing, as estratégias colocam a produção de conteúdo como a voz de sua marca. É claro que esse conteúdo precisa ser atrativo e útil para conseguir engajar os visitantes. 

Para que isso ocorra, é fundamental conhecer o seu público para saber qual é o seu perfil e saber qual tom de linguagem você deve utilizar. Com um público muito jovem, por exemplo, vale mais abusar de gírias e descontração do que da formalidade. 

2. Defina a persona

A persona é uma representação fictícia de seu cliente ideal, criada a partir de um estudo sobre o seu público. Ela serve para orientar sua marca na produção de conteúdo.

Ela deve apresentar dados como nome, idade, interesses e profissão para ser mais humana e próxima da realidade possível.

Para criar uma persona, você pode realizar pesquisas com o público-alvo, analisar os insights de Analytics e o banco de dados de clientes ativos.

3. Saiba onde encontrar o seu público

A partir do entendimento do público-alvo e da definição de persona, você saberá onde encontrar o seu público. Então, crie uma lista dos ambientes físicos e digitais de seus possíveis clientes para saber onde disparar as campanhas.

4. Entenda os interesses do público

Afinal, quais são os interesses da sua persona? Descubra o que ela gosta, o que procura e o que chama a sua atenção. Isso será primordial para escolher temas para os conteúdos e anúncios e definir palavras-chave nas estratégias de SEO.

5.  Descubra onde o seu público consome conteúdo digital

No terceiro passo, você já entendeu onde encontrar seu público em ambientes físicos e digitais. Agora, é hora de saber onde eles consomem mais conteúdos na Internet.

Provavelmente, você encontrará redes sociais específicas.

Essa etapa mostrará onde você também deve estar. Afinal, só assim você estará em contato constante com clientes em potencial. 

6. Transforme seu site em uma plataforma amigável

Não se esqueça da experiência do usuário e preze por um site amigável para os diversos dispositivos.

Portanto, tenha atenção para fatores como:

7. Crie conteúdo atrativo para as redes sociais

Nas redes sociais, relacione o interesse do seu público com as soluções de sua marca. Além disso, promova o engajamento, interagindo com o público, respondendo rapidamente às suas dúvidas e os encorajando a dar feedbacks públicos em seus perfis.

8. Direcione os anúncios 

Por fim, será necessário criar anúncios que atendam a cada uma das etapas do funil de vendas. Para cada uma delas, existem gatilhos mentais e estratégias únicas. 

Uma vez que você conhece bem o seu público, sabe quais são seus interesses, onde ele está e está preparado para interagir com ele em sites, sua equipe de Marketing saberá criar os anúncios. Aliás, não se esqueça dos anúncios de mídia paga para cada uma das fases.

Mantenha seu funil de vendas atualizado com a Adtail 

Você já deve ter percebido que o mercado digital muda constantemente e, por isso, você deve estar atento para não perder oportunidades de vendas. 

Da mesma forma, a maneira como o cliente chega até a compra sempre tem alterações, então é necessário analisar sempre o funil de vendas e mantê-lo atualizado. 

Para isso, você pode contar com a Adtail, uma agência de marketing digital focada em alta performance e com serviços que têm soluções criativas para atrair consumidores a seu funil de vendas.

Um deles é o de CRM, que inclui estudo da base de clientes, segmentação e implementação de estratégias criativas. 

Saiba mais! Visite o site e veja como a Adtail atrai os clientes certos para a sua marca.

Se você já conferiu nosso conteúdo completo sobre tráfego pago ou pretende iniciar suas campanhas, pode estar se perguntando sobre quais são os erros em mídia paga mais comuns e frequentes para poder evitar.

Selecionamos alguns pontos para ficar atento no momento de botar sua estratégia em ação. Confira!

Por que usar a mídia paga? 

Primeiramente, a mídia paga se refere a todo tipo de comunicação que uma marca faz com seu público por meio de investimento financeiro. A ideia principal é que a marca, seus serviços e produtos sejam promovidos e, assim, o negócio ganhe um retorno em vendas.

Umas das vantagens da mídia paga é que ela alcança o público rapidamente. Além disso, há outros benefícios, como:

No entanto, não basta apenas pagar para conseguir os clientes. É importante segmentar o público e criar anúncios que realmente chamem a atenção deles.

Dessa forma, trabalhar o fluxo de cadência Inbound é essencial para conectar sua marca com as pessoas certas nos momentos mais adequados.

Os 7 principais erros em mídia paga

Para muita gente, a mídia paga é uma novidade nos negócios de vendas. Por isso, é comum o erro nas estratégias entre quem está começando agora no mercado digital. 

Da mesma forma, negócios que já usam o ambiente virtual para vendas também podem cometer erros. Afinal, estamos falando de um meio que vive em constante mudanças.

É claro que devemos focar nos acertos, mas tenha em mente que o maior erro na mídia paga é, na verdade, não usá-la. Assim, veja os erros como desafios que levam ao aprendizado e aprimoramento.

Mesmo assim, listamos os 7 erros mais comuns em mídia paga para você dar um passo a mais e evitar cometê-los agora mesmo.

Confira!

1. Não monitorar a conta

A tecnologia traz diversas facilidades para o e-commerce, então não deixe os recursos da conta de lado e acompanhe o progresso das campanhas. Essa ação inclui observar, entre outros fatores:

2. Não realizar otimizações constantes

Uma das vantagens da mídia paga é a possibilidade de analisar o desempenho da campanha e descobrir se ela precisa de otimizações.

Contudo, para realizar modificações, nada pode ser feito no impulso. Em outras palavras, é preciso respeitar o tempo de aprendizado das campanhas e esperar algum tempo para que as otimizações sejam justificadas. 

De qualquer forma, é importante trazer melhorias periodicamente porque os resultados que as campanhas trazem, tendem a perder relevância com o tempo

Afinal, o público e o seu comportamento mudam sempre, assim como os preços e as promoções dos concorrentes. Além disso, usar o mesmo anúncio para um público em específico por muito tempo pode causar fadiga no consumidor.

3. Não realizar testes

Não há como ter certeza de que uma campanha de mídia paga irá alcançar a meta estabelecida antes de rodar por muito tempo. Desse modo, a melhor forma é testar as ideias da equipe para ver quais são as melhores opções para o negócio.

Quando os testes não são realizados, o risco de perder dinheiro em ações sem sentido para o público é alto. Da mesma forma, a chance de ganhar dinheiro é reduzida ao não testar um modelo de campanha que poderia ser eficiente.

Portanto, é fundamental separar uma parte da verba apenas para testes de novos formatos de campanha e de segmentação. 

Também fique de olho em novidades, outros tipos de investimento e canais que você ainda não testou. 

4. Insistir na mesma estratégia

Quando uma estratégia tem sucesso, isso não quer dizer que será sempre assim. Mesmo que os resultados sejam positivos por um determinado período, em certo momento algo pode mudar e as conversões sofrerão uma queda drástica.

Os motivos para isso acontecer são inúmeros, como:

Dessa maneira, o mais importante é observar o mercado para saber qual é a melhor maneira de abordar o público em determinada época. 

5. Focar no público-alvo errado

Caso sua campanha tenha o objetivo de vendas, alta taxa de cliques, mas baixa conversão, pode significar uma coisa: foco no público-alvo errado. 

Portanto, é muito importante conhecer bem o público, seu interesse e saber onde ele está. Para isso, crie uma persona a partir da base de clientes da marca e de insights do Google Analytics. Há também outras formas de entender o público, como pesquisas de formulário.

Quanto mais informações reunir de seu público, mais fácil será criar as campanhas e dispará-las para as pessoas que, de fato, irão converter em vendas. 

6. Usar imagens de baixa qualidade

As imagens têm um grande impacto na impressão dos usuários. Elas chamam a atenção e detalham a experiência do produto ou serviço.

Se os criativos dos anúncios estiverem em baixa qualidade, os usuários não se sentirão atraídos, nem confiarão na marca. Pois, a experiência do usuário precisa ser agradável desde o primeiro contato. 

7. Não coletar métricas

Uma das melhores formas de entender o desempenho das campanhas é a partir das métricas. Elas são dados valiosos que medem o sucesso e apontam para necessidades de otimizações. 

Para saber usá-las, é importante contar com uma equipe de profissionais com experiência nas ferramentas, que saiba interpretar as métricas e criar ações que levam à alta performance do seu negócio, como a Adtail.

Nossa equipe te dará segurança nas estratégias de mídia paga, pois acompanha de perto todo o desempenho das suas campanhas com criatividade, expertise e inovação.

Então, visite o site da Adtail e descubra como a agência potencializa as estratégias de mídia paga.