Dia da Mulher: o que sua marca precisa pensar?

Carregado de representatividade e força, o dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, tem sido cada vez mais reconhecido. E respeitado por seu real significado: a luta por direitos sociais e a representatividade feminina. 

Mas, como também é uma data que entrou para o calendário comercial brasileiro, diversas empresas lançam promoções, descontos e produtos. Focando em alavancar as vendas para o público feminino. 

Porém, vale ressaltar que o engajamento com a causa não basta somente para o Dia das Mulheres. Afinal, o comprometimento com a luta feminina pela igualdade e o combate ao machismo é algo a ser feito todos os dias. 

Por isso, antes de qualquer coisa, busque entender o que representa esse dia. E qual a identificação genuína que você pode criar com a sua marca para definir a sua ação.

Em parceria com o comitê Empodera, do Projeto Plural, de responsabilidade social, diversidade e inclusão da Adtail, separamos algumas dicas. Veja insights e dados importantes para você seguir na hora de pensar em como se posicionar para a data.

Invista na representatividade feminina e apoie suas causas

Mais do que engajar com as pautas femininas em época de Dia da Mulher, é importante demonstrar para o seu público que a sua marca entende a importância desse tema. E o apoia o ano todo! Não somente em campanhas publicitárias. Mas também na composição de sua equipe e de suas oportunidades

Todos os anos, diversas marcas acabam tendo resultados negativos com suas publicidades. Por se posicionarem a respeito de determinadas pautas somente em datas comemorativas. Afinal, o questionamento levantado pelos consumidores acaba sendo: “esse posicionamento faz parte do que a empresa acredita ou é estratégico e pensado em lucros?”

Passar coerência na comunicação e uma transparência na relação da empresa com o tema é a chave para o sucesso. Fale sobre aquilo que a marca domina! Alinhando à imagem que já foi construída até o momento.

Pergunte para quem sabe!

Envolver as mulheres e dar espaço a elas no processo de publicidade, criação e estratégia, é fundamental. 

Além da contratação e capacitação das profissionais femininas. Ferramentas muito úteis no processo da busca por representatividade são as redes sociais. Através delas, você pode manter uma conexão e relação bem próximas com o público. Dessa maneira, dando oportunidade para que mulheres exponham do que gostam e o que esperam do posicionamento da sua empresa.

Sendo assim, a forma mais fácil de engajar e desenvolver novas ideias utilizando as redes sociais é estimulando o engajamento do seu público. Utilizar as caixinhas de perguntas do Instagram, por exemplo. Como também promover concursos culturais, pode trazer ótimos resultados. 

Evite felicitações efusivas ou argumentos muito descolados da origem da data, que se relaciona com a luta por direitos das mulheres. O tom da comunicação precisa ter esse cuidado.

Anúncios reais para mulheres reais

Infelizmente, o meio publicitário foi (e ainda é) um dos principais culpados pelos estereótipos femininos. Impondo padrões de corpos e rostos inalcançáveis. 

Mesmo com o aumento de campanhas publicitárias que promovem a naturalização dos “corpos reais”, 43% das mulheres ainda não se sentem valorizadas e representadas pela publicidade brasileira. Segundo uma pesquisa realizada pela Glamour/Globo.

Embora, nos últimos anos, tenhamos um crescimento significativo na atuação feminina no meio publicitário, um estudo realizado pela Propmark, em 2021, apontou que menos de 25% dos diretores de criação de conteúdo de grandes agências de publicidade são mulheres

Essa baixa representatividade implica numa publicidade para mulheres desenvolvida por homens. E analisada sob a ótica masculina. Retratando a mulher comum sem as diversas lutas que a compõem. 

Ou seja, investir em representatividade nas empresas é a única forma de se manter em conformidade com o que as mulheres querem e procuram. Afinal, ninguém melhor para retratá-las do que elas mesmas. 

Fuja de estereótipos! Esqueça aquela ideia antiquada sobre “produtos de mulher”. Dê espaço para diferentes corpos e diferentes etnias, além de apostar também na inclusão e visibilidade das mulheres trans.

A empresa consegue trazer um conteúdo relevante sobre o Dia da Mulher?

Discuta internamente com sua equipe quais tipos de conteúdo diretamente relacionados com a realidade feminina a marca tem propriedade para abordar. Um conteúdo digital pode ser um artigo, uma imagem, um vídeo e até um podcast. 

Através destes conteúdos, é possível expor as ideias da sua empresa. Além de gerar afinidade e conexão com o seu público-alvo. 

Hoje, diversas empresas promovem podcasts sobre problemas sociais. Estudar o comportamento de grandes empresas do seu segmento pode trazer muitos insights interessantes sobre projetos de prospecção de clientes, por exemplo. 

Busque por referências de outros anos de marcas que são inspiração para o seu negócio. É fácil encontrar listas de campanhas que foram bem recebidas pelo público. É importante relacionar a mensagem escolhida com os valores da marca e do cliente para gerar uma percepção positiva no público.

Uma ação comercial pode ser pertinente?

Veja bem, se a marca avalia que uma ação com condição comercial para aquisição de produto ou serviço pode ser realmente relevante, busque dinâmicas e abordagens adequadas ao sentido da data.

Se optar por um apelo de venda, escolha caminhos mais amplos e diversos.

Certamente, alguns segmentos criam mais facilmente associação com temas ligados ao significado do Dia da Mulher. Estude as possibilidades do seu mercado e dê o match.

Vale fazer uma breve pesquisa online sobre os “fracassos” da publicidade na data para garantir que a campanha escolhida pela sua marca não vai repetir erros de outros players.

Dia da Mulher: resultado a longo prazo

Hoje, as projeções de vendas para os e-commerces de 2022 são altas. A modalidade já vem demonstrando grande crescimento nos últimos anos, com uma alta significativa durante a pandemia. Alta essa, cada vez mais impulsionada pelas mulheres. Que são as principais compradoras desse segmento. Ao estudar o perfil médio dos compradores, as mulheres indicam um número de mais de 57% dos pedidos. 

O Dia da Mulher é, sem dúvidas, uma grande oportunidade de vendas. Porém, colher bons frutos próximos a esta data depende diretamente de como seu empreendimento se comporta durante o restante do ano. Afinal, a pauta feminina é um compromisso que precisa ser levado a sério.