7 erros comuns em mídia paga para não cometer

Se você já conferiu nosso conteúdo completo sobre tráfego pago ou pretende iniciar suas campanhas, pode estar se perguntando sobre quais são os erros em mídia paga mais comuns e frequentes para poder evitar.

Selecionamos alguns pontos para ficar atento no momento de botar sua estratégia em ação. Confira!

Por que usar a mídia paga? 

Primeiramente, a mídia paga se refere a todo tipo de comunicação que uma marca faz com seu público por meio de investimento financeiro. A ideia principal é que a marca, seus serviços e produtos sejam promovidos e, assim, o negócio ganhe um retorno em vendas.

Umas das vantagens da mídia paga é que ela alcança o público rapidamente. Além disso, há outros benefícios, como:

  • aumento do tráfego no site;
  • identificação do público;
  • mensuração de resultados;
  • diversas possibilidades de investimento.

No entanto, não basta apenas pagar para conseguir os clientes. É importante segmentar o público e criar anúncios que realmente chamem a atenção deles.

Dessa forma, trabalhar o fluxo de cadência Inbound é essencial para conectar sua marca com as pessoas certas nos momentos mais adequados.

Os 7 principais erros em mídia paga

Para muita gente, a mídia paga é uma novidade nos negócios de vendas. Por isso, é comum o erro nas estratégias entre quem está começando agora no mercado digital. 

Da mesma forma, negócios que já usam o ambiente virtual para vendas também podem cometer erros. Afinal, estamos falando de um meio que vive em constante mudanças.

É claro que devemos focar nos acertos, mas tenha em mente que o maior erro na mídia paga é, na verdade, não usá-la. Assim, veja os erros como desafios que levam ao aprendizado e aprimoramento.

Mesmo assim, listamos os 7 erros mais comuns em mídia paga para você dar um passo a mais e evitar cometê-los agora mesmo.

Confira!

1. Não monitorar a conta

A tecnologia traz diversas facilidades para o e-commerce, então não deixe os recursos da conta de lado e acompanhe o progresso das campanhas. Essa ação inclui observar, entre outros fatores:

  • a verba utilizada até o momento;
  • desempenho das campanhas;
  • ações dos usuários;
  • necessidade de otimização. 

2. Não realizar otimizações constantes

Uma das vantagens da mídia paga é a possibilidade de analisar o desempenho da campanha e descobrir se ela precisa de otimizações.

Contudo, para realizar modificações, nada pode ser feito no impulso. Em outras palavras, é preciso respeitar o tempo de aprendizado das campanhas e esperar algum tempo para que as otimizações sejam justificadas. 

De qualquer forma, é importante trazer melhorias periodicamente porque os resultados que as campanhas trazem, tendem a perder relevância com o tempo

Afinal, o público e o seu comportamento mudam sempre, assim como os preços e as promoções dos concorrentes. Além disso, usar o mesmo anúncio para um público em específico por muito tempo pode causar fadiga no consumidor.

3. Não realizar testes

Não há como ter certeza de que uma campanha de mídia paga irá alcançar a meta estabelecida antes de rodar por muito tempo. Desse modo, a melhor forma é testar as ideias da equipe para ver quais são as melhores opções para o negócio.

Quando os testes não são realizados, o risco de perder dinheiro em ações sem sentido para o público é alto. Da mesma forma, a chance de ganhar dinheiro é reduzida ao não testar um modelo de campanha que poderia ser eficiente.

Portanto, é fundamental separar uma parte da verba apenas para testes de novos formatos de campanha e de segmentação. 

Também fique de olho em novidades, outros tipos de investimento e canais que você ainda não testou. 

4. Insistir na mesma estratégia

Quando uma estratégia tem sucesso, isso não quer dizer que será sempre assim. Mesmo que os resultados sejam positivos por um determinado período, em certo momento algo pode mudar e as conversões sofrerão uma queda drástica.

Os motivos para isso acontecer são inúmeros, como:

  • situação econômica do país;
  • datas sazonais;
  • mudança de perfil do público;
  • concorrência;
  • falta de otimização e etc.

Dessa maneira, o mais importante é observar o mercado para saber qual é a melhor maneira de abordar o público em determinada época. 

5. Focar no público-alvo errado

Caso sua campanha tenha o objetivo de vendas, alta taxa de cliques, mas baixa conversão, pode significar uma coisa: foco no público-alvo errado. 

Portanto, é muito importante conhecer bem o público, seu interesse e saber onde ele está. Para isso, crie uma persona a partir da base de clientes da marca e de insights do Google Analytics. Há também outras formas de entender o público, como pesquisas de formulário.

Quanto mais informações reunir de seu público, mais fácil será criar as campanhas e dispará-las para as pessoas que, de fato, irão converter em vendas. 

6. Usar imagens de baixa qualidade

As imagens têm um grande impacto na impressão dos usuários. Elas chamam a atenção e detalham a experiência do produto ou serviço.

Se os criativos dos anúncios estiverem em baixa qualidade, os usuários não se sentirão atraídos, nem confiarão na marca. Pois, a experiência do usuário precisa ser agradável desde o primeiro contato. 

7. Não coletar métricas

Uma das melhores formas de entender o desempenho das campanhas é a partir das métricas. Elas são dados valiosos que medem o sucesso e apontam para necessidades de otimizações. 

Para saber usá-las, é importante contar com uma equipe de profissionais com experiência nas ferramentas, que saiba interpretar as métricas e criar ações que levam à alta performance do seu negócio, como a Adtail.

Nossa equipe te dará segurança nas estratégias de mídia paga, pois acompanha de perto todo o desempenho das suas campanhas com criatividade, expertise e inovação.

Então, visite o site da Adtail e descubra como a agência potencializa as estratégias de mídia paga.